6 de mar de 2012

Língua portuguesa... sua danada!

Eu nem iria fazer postagem hoje. Mas, como sou uma pessoa "agoniada" por natureza, tem certas coisas que eu PRECISO compartilhar!

Algumas coisas são, realmente, engraçadas. Essa tal comunicação, é fantástica! Sem dizer que a língua portuguesa nos prega cada peça!!!!

Antes de trazer um fato engraçado que me aconteceu hoje, deixe-me situá-los. Sou professora, vocês sabem. Pela manhã, durante algumas aulas, eu faço atendimentos individuais com crianças que têm dificuldades de aprendizagem. A maioria ainda está no processo inicial de leitura e escrita(algumas com dificuldades mais sérias.). 

Pronto, já situados, deixe-me relatar o acontecido de hoje, que me fez rir TANTÃO. 

Imagem daqui
Estava Joicynha, com uma aluninha, fazendo o atendimento individual. Uma das atividades(não vou me estender sobre o desenvolvimento da atividade, para não "esticar" demais a prosa aqui.) que ela deveria fazer dizia mais ou menos o seguinte "Leia as palavras abaixo e faça um desenho para ilustrar cada uma delas". Como ela ainda apresentava dificuldade para fazer a leitura, precisei "dar um empurrãozinho", lendo com ela. Depois que a criança terminou de fazer a atividade, um desenho em específico me chamou à atenção, pois não consegui compreender. Olhei, olhei, virei a folha, olhei de novo, coloquei o desenho de cabeça pra baixo, mas nada fez com que eu compreendesse. Foi então que eu perguntei, "Você se lembra da palavra que nós lemos, para você fazer esse desenho aqui?"(apontei para o desenho) A pequena disse "sim... era a palavra patinha" e eu perguntei "e o que você desenhou?", ela respondeu, "ué(com tom de "dããrr!!"), eu desenhei uma patinha(pausa)... de cachorro". 
Não consegui me controlar e caí na gargalhada(não tão escancarada, como de costume. Foi mais contida.). Tadinha, ela olhou pra mim sem entender nadica de nada. Foi aí que eu expliquei: "Não se preocupe, você fez certinho... a prô que entendeu errado, pois, PRA MIM, essa patinha aqui(apontei para a palavra), era a fêmea do patinho. Mas, a sua patinha também está correta". Aí, é claro, aproveitei para trabalhar a questão das palavras que têm mais de um significado. 
E não é que depois dela ter me dito o que havia desenhado, eu vi que realmente era uma patinha de cachorro!? O problema estava em meu olhar e em minha cabeça, que só conseguia pensar na "Pata do Pato". Mas, não a pata que o pato usa pra andar e sim a pata que o pato quer pra namorar(ih, rimou!), oras bolas! hihihihi... Há momentos em que a gente "empaca", né? Viver olhando dentro de um quadrado, sem pensar nas possibilidades é complicado. Às vezes precisamos de um empurrãozinho ou ao menos de força de vontade para não acharmos que nossos conceitos são os únicos que existem na face da Terra. Tá, viajei!!! Pronto, voltei... foco, Joicy, foco!

Saindo das divagações e voltando à questão das palavras, foi então que ao fazer as anotações sobre o desenvolvimento da aluna, ao final da aula, entre risos e "escrevinhações", fiquei pensando em como nossa língua é complicada.  Com isso, me lembrei de um episódio(já viram que sou dessas, né?) que aconteceu com a conhecida(acho que é "parenta") de uma colega de trabalho(a queridona Kênia). Inclusive, eu já havia comentado sobre esse relato, no RostoLivro, há algum tempo. Toda vez que me lembro, choro de rir. Como diria o filósofo Chicó, "eu não sei, só sei que foi assim"

A conhecida dessa minha amiga veio passar alguns dias em Goiânia(na cidade grande). A moça que não estava acostumada com o trânsito caótico de GynHellCity, chegou na faixa de pedestre e ficou esperando os veículos pararem para ela poder passar. Espera, espera, espera e nada! Depois de um tempo parada 'igual dois de paus' passou um motociclista que gritou para ela "APERTA O BOTÃO!!!"(o rapaz se referia à botoeira do semáforo, que aciona o sinal vermelho para os veículos). Mais que rapidamente ela virou para o rapaz e gritou, toda revoltada, "VAI VOCÊ!!!! APERTA O SEU!!!!". kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... peraí, peraí... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Xééééézuis! 

Essa língua portuguesa é danada, ou não é??? Arre!!!!!

Como diriam os Goiânos, "Ah nemmmm!!"...

Beijoquinhas!!

Câmbio, desligo.

70 comentários:

  1. Eba!!! Primeirinha! Adorei o post Joicy, e não é que a danada da língua portuguesa prega peças na gente??? rs. Me lembrei de um aluninho certa feita: ele pediu a coleguinha: "Me empresta o lápis de cor??" A garotinha respondeu: "Nem que a vaca tussa", Ele, depois de pensar um pouquinho me vem com essa: "Professora! Ela me chamou de VACA TUSSA!!!" Ri muitão!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol essas situações dariam um livrão, né?! rsrsrs... Cada uma!!

      bjks

      Excluir
  2. Ola Joicy!

    Morri de rir lendo seu texto,a nossa língua realmente é muito complexa e imagino o quão complexa pareceu para a pequenininha que estava com você.Acho que a partir de hoje, toda vez antes do atendimento individual você vai conferir sua lista de palavras,para ficar ciente! Mas como imaginar o que passa pela cabeça de uma criança né?

    Abraço
    Até a próxima

    Jeferson Barbosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jef... tudo bem?

      heheheheh... Com certeza eu vou refletir mais sobre essas questões. Por isso é importante a gente ouvir o aluno. Muitas vezes eles têm muito para nos mostrar. Inclusive, apra nos permitir fazer a autoavaliação diária! ;)

      bjkinhasss

      Excluir
  3. Ahah, hoje mesmo eu estava discutindo sobre os erros gritantes que vemos em redes sociais com uma parceira que criou um post justamente sobre... Erros gritantes de português.
    E o que mais nos deixou impressionados e como nos habituamos a banalização da Língua Portuguesa e muitos já acham normal escrever agente (até zoei com ela, falei que pessoas que escrevem assim dá vontade de mandar para o agente funerário), e outras pérolas como a confusão entre o "mais" e o "mas", o derrepente, o concerteza, a confusão do trás com o traz, concerto com conserto, censo com senso, sessão com seção, menas,seje, meia (quando não se trata do acessório ou da metade de algo), o mim conjugando verbo...
    Bem, pode não ter muito a ver com o tema, contudo, seu post me fez lembrar deste outro post e do quanto as pessoas estão relaxando com o nosso idioma que em meu ponto de vista é tão rico.
    Não sou professor de Português, não me julgo superior a ninguém, sempre me foco mais no conteúdo do que ficar procurando erros nos posts ou em outras redes e corrigir as pessoas publicamente, o que vejo como grosseria. No entanto, há coisas que vemos escrachadamente que não são meros erros de digitação e sim, ignorância mesmo. Se não era, tornou-se. E tornar-se ignorante por hábito, é gritante e dói em quem lê.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa questão é realmente interessante de se debater, Chris... alguns erros chegam a ser bizarros! Tem tbem o tal do internetês(Confesso que isso me irrita demais). Usar abreviações em alguns momentos, é uma coisa(eu, por exemplo, uso!), agora se comunicar com esse "outro idioma" é pra lá de chato. Lembro-me quando surgiu o msn. Caramba, como as pessoas exageravam. Enfim, algumas coisas precisam ser observadas mesmo.

      bjks

      Excluir
  4. Oi, Joicy!!
    É a Língua Portuguesa é muito complexa!E na interpretação também!!
    Exige uma visão ampla!!
    Boa noite !!Bjokas!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Joicy!
    Nossa língua prega peças na gente o tempo todo
    e a todo tempo estamos nos corrigindo para melhorar,
    imagina para uma criança? rsrsss
    Gostei do Artigo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, complicadinha mesmo... algumas vezes nos coloca em situações hilárias, como as que relatei!

      bjks

      Excluir
  6. Certa vez, em um debate de intelectuais aqui de Porto Alegre, num programa que eles ficam em cafeterias e debatendo literatura e arte em geral, começaram a falar da língua portuguesa. A bixinha do Tatata Pimental dizia que era horrível pessoas que falavam errado. E o David Coimbra, disse algo que achei genial: "O importante de tudo, mais do que falar corretamente é se fazer entender".

    Daí pensei com meus botões. Tá aí algo foda! Tem gente que adora falar chamuscado, cheio de pititi e patatá. E no final ninguém entende nada. E eu concordo. Falar errado é feio? É. Mas pior ainda é falar todo bonito e ninguém entender bulhufas.

    Beijos.

    ----
    Site Oficial: JimCarbonera.com
    Rascunhos: PalavraVadia.blogspot.com

    Ps: se eu fosse presidente, teria mudados mais algumas coisas na língua portuguesa. Acho que faltou bastante coisa ainda para ser aperfeiçoada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jim, não resisti e tive de comentar, amei o que vc escreveu, e concordo plenamente .Beijos.

      Excluir
    2. JimZinho, o tal do preconceito linguístico é uma merda... Concordo com vc. Lembro-me que na época da faculdade(Federal de Goiás), minha orientadora falou para uma amiga que ela estava utilizando termos coloquiais que dificultavam a compreensão. Disse que era importantíssimo escrevermos tudo corretamente(uma vez que era uma monografia e alguns requisitos prévios eram exigidos), mas que a linguagem deveria aproximar o leitor e não distanciar. O mesmo acontece com a linguagem falada... eu falo para que alguém me compreenda... do contrário, é como se estivéssemos num diálogo com duas línguas estranhas. Ponto interessante que vc abordou.

      bjks

      Excluir
    3. Olá meninas!

      Quando vi esse programa, mudei meu modo de pensar. Claro, tem algumas coisas que tem algumas regras que ainda devem ser seguidas etc, quanto a um TCC, escrever formalmente, etc. Porém, o jeito de falar e de se expressar deve ter a função primeiramente de compreensão alheia. E depois de mostrar que fala correto etc.

      Enfim...

      Beijos gurias.

      Excluir
    4. Com certeza, Jim!

      Quando citei sobre a minha colega, disse pq ela escrevia com um português arcaico(coloquial) o que dificultava demais a compreensão de seus escritos. Mesmo num trabalho acadêmico, escrevemos para alguém... para sermos compreendidos. Claro, dentro das normas estabelecidas.

      Agora, qto a linguagem falada, com certeza, o que vale é a compreensão.

      bjks

      Excluir
    5. É exatamente o ponto que os linguistas tanto defendem - dentre eles, o mais ferrenho defensor deste modo de expressar e se fazer entender é o Marcos Bagno.

      Excluir
  7. Boa noite, Joicy.
    Além da questão dos homônimos perfeitos (palavras idênticas na grafia e na pronúncia), como foi o caso da pata, outra fonte de confusão aqui na Terra Brasilis são os regionalismos, com a palavra "prenda" que aqui no sul além de significar prender também quer dizer mulher jovem e bonita (no popular, "trocinho").
    Mas e aí você pode perguntar como que uatarréu alguém de outro estado vai saber disso?
    Outro exemplo é o termo "trem" que os mineiros usam como sendo sinônimo de "coisa", e por aí vai.
    Para se evitar confusões, devemos sim estar atentos todo o tempo àquilo que as demais pessoas estão dizendo, o que nem sempre é fácil de fazer.
    Abraço, Joicy.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jacques,esse tal de regionalismo nos pega de jeito. Sobre a "prenda", quando eu tinha 13 anos desfilei(aniversário da cidade... vou procurar fotos aqui. hahaahah) com um vestido de "prenda"(segundo minha fessora, era um tipo de roupa que as moças usam nos bailes, no sul... né? Fiquei uma prenda! hahaha)

      O problema é justamente isso que vc colocou, nos entendermos diante de tanta variedade linguística! Com a internet ficou mais fácil, né? A gente vai se "aprochegando"! rs

      bjks

      Excluir
  8. Olá!Boa noite!
    Realmente! Concordo com tudo que vc descreveu em seu texto!
    Então vamos falar do nosso mundo: a blogosfera!
    Um blogueiro que saiba bem a nossa língua, transmite confiabilidade, agrega conteúdo e valores. É evidente que o português culto é dispensável em situações onde a simplicidade resolve. Exemplo: “Impulsionar a extremidade do membro inferior contra a região glútea de alguém”, em vez de “Dar um pé na b..."
    “Senhor delegado, deu entrada no Pronto-Socorro Municipal o cidadão, vítima de ‘gargalhada’. ‘Gargalhada’ no peito, no rosto e nas costas. Segue anexo um ‘gargalho’de garrafa.”..foco, Felis, foco,hihihi
    Mas, vc já descreveu tudo o que uma criança passa....
    Boa quarta!
    beijos carinhosos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Felisberto... é como o jim apresentou.

      Na blogosfera, penso que o mais importante é conseguir se comunicar da melhor maneira possível(claro, sem erros ortográficos gritantes, ou nenhum, se possível. Please. rs... que não é o seu caso, claro!)

      Viu como a gente se confunde com as tais palavras? hahahahah

      bjks ;)

      Excluir
  9. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, rindo alto aqui com o "Aperta o Botão" ....hauahauaaua

    Mas amei seu post, que adorável a garotinha *.*
    A vida tem dessas, a gente fala algo e as pessoas imaginam e interpretam outra coisa, ou vice e versa. Vejo que acontece muito quando temos filhos em idade pré-escolar de fato, como você é professora deve ter mais dessas histórias pra contar, é só parar pra lembrar.
    Adorei de fato Joicynha... na minha opinião vc deveria fazer uma coluna só desses fatos interessantes que vc passa na escola, ia ser divino .*.*

    Beijinhos
    Viviane
    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa do "aperta o botão" eu me lembrarei sempre... óóóótima! haahhahah

      Gostei da dica, viu? Quem sabe não me atenho às coisinhas que acontecem em meu cotidiano de professora e posto mais situações como essa!? Vou pensar com carinho... prometo! rs

      Valeu!!

      bjks

      Excluir
  10. Hilário Joicy e sempre gosto muito destes fatos e situações envolvendo crianças que, em geral, são deliciosas.

    Veja, o caso da patinha... kkkk

    Um abração carioca e parabéns pelo seu trabaalho junto a esta criançada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, é bom demais mesmo!!

      Valeu, querido!!

      Abração Goiâno... rs

      Excluir
  11. heheheheheheh! Além de ser engraçado, você conseguiu transmitir, com humor, os fatos. Eita idioma complicado e rico! Nós nos fixamos no entendimento que temos da palava ou frase e nada desvia nosso foco. É preciso que alguém mostre as outras cores, para percebermos a diferença. Eu me diverti com seus relatos. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é verdade, Marilene... muitas vezes é preciso que outras pessoas nos mostrem que pode existir algo diferente. Precisamos aprender mesmo a sair do quadrado.

      Obrigadaaaaaa!!

      bjks

      Excluir
  12. Joicy
    Eu ri muito deste episódio.Foi uma situação muito cômica ao mesmo tempo delicada que no final você solucionou com muita diplomacia. A nossa lingua é rica de sonoridades e significados que até eu me atrapalho. Sorte tem as suas crianças com uma professora tão habilidosa como você.
    Te admiro muito, sabia?

    beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses episódios são mais comuns em minha vivência de professora, que imagina-se. Cada uma que daria um livro, Elisa. As crianças chegam com cada uma que é de matar de rir. Fico pensando como as coisas aconteciam quando eu era criança. Os professores chegavam com suas verdades absolutas e nada fazia com que eles aceitassema algo que fosse diferente.

      Obrigada, viu!?

      bjks

      Excluir
  13. Muito bom, e melhor ainda a simplicidade do olhar de uma criança...
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  14. Hahahaha aprta o seu foi brabo!
    Hj em dia sei bem como é nossa lingua, estou estudando para concurso e tendo aulas com um professor "show de bola", é bom ter aula assim né?!
    O fato é que estudar as palavra da nossa lingua e a maneira certa de empregá-la é muito legal!

    ps: Ontem teu blog estava fora do ar, tentei te visitar e não consegui!


    Beijçao!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camila, essa do "aperta" foi mesmo terrível! Chorei de rir quando minha amiga contou da primeira vez! hahahha

      Vixe, estudando pra concurso a gente se acaba na língua portuguesa. São tantos conceitos. rs Brincadeira...eu sou suspeita em falar, pois gosto muito de linguística! Pedagogia foi minha primeira opção, na UFG. A segunda foi Letras.

      Meu blogue fora do ar? Eita... será que foi pq vc tentou o link jlmilinha? Pq mudei o domínio para umaseoutrasjoicy

      bjks

      Excluir
  15. Oi Joicy!!
    Hahahahahah, sempre rio com essa história do botão, hahahahaha... mas a da minininha também foi muito boa. Acho que não é só a língua portuguesa, mas todos os idiomas deve ter dessas coisas e aí vai das pessoas abrir a mente para todas as possibilidades de significados, e isso vai com o tempo e as experiências, como a que vc teve. Quer dizer, vc tava procurando uma pata e acabou encontrando uma pata, mas não a pata que procurava, outra pata. Credo, quanta pata :S, hehehehhe

    Pois é, quero ir no AF, o bom é que tem bastante tempo ainda, da pra se programar direitinho, to torcendo pra vc conseguir ir e todo mundo se encontrar ^^). Sabe uma coisa engraçada? O título de Cinzas era pra ser sobre a quarta de cinzas, mas eu gostei muito da conotação dada por vocês. Ficou bem bacana. Por isso acho comentários muito importante.

    Bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricky, lembra quando compartilhei no Face?? hahahaah... rio litros toda vez, tbem!

      Ahhh, mas, eu acho que a língua portuguesa tem lá suas complicaçõezinhas, viu? Algumas mais do que em outros idiomas. Mas, eu gosto dessa danada.rsrsrsrs

      A pata foi demais... adorei mesmo!! hahah


      Pois é, espero mesmo que dê certo para ir ao AF. Quem sabe, né? Se formos e vc for tbem, será um super encontro! Vou amaaaarrr! Além de estar no maior evento de anime, ainda estarei vendo pessoas queridíssimas da blogosfera!!

      bjkssss

      Excluir
  16. RSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRRS...

    Realmente nossa língua é bem complexa e rica em interpretações.
    O pior é quando nos apegamos a uma entendimento e nele empacamos, esquecendo de focar outros ângulos. Aí dá nó (rsrsrsrsrs).

    Amei o aspecto cômico dos "causos"!

    Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vera, dá nó mesmo essa danada! hahahahhaha

      Valeu, querida!

      bjks

      Excluir
  17. Oi Joicy!
    Menina, essa língua portuguesa é um caso sério. E quando você começa a aprender as coisas, chega uma reforma ortográfica e ferra com tudo. #cry
    Mas realmente é complicado para as crianças a compreensão dessas palavras com grafia igual e significados diferentes. Achei um amor essa aluna, geralmente os pequenos têm essa facilidade pra encontrar as várias possibilidades que a vida nos mostra.
    Entender, digo, decifrar desenhos de crianças é algo divertido hahahahaha
    Me lembrei de quando eu era monitora de Letramento numa escola aqui perto, daí fiz uma atividade com as crianças maiores (10 a 15 anos) sobre animais de estimação e como tratá-los. Daí no final das perguntas sobre o texto, coloquei uma pra que eles desenhassem como seriam se fossem cachorros. Saiu cachorro com piercing, com óculos, com lacinho no cabelo, batom e até cachorro de moicano. haiahuahihiahia
    Quase peguei todos pra mim =P

    Beijocas!

    Ismália .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahha... Ismália, tempos atrás, quando a reforma aconteceu e estava no primeiro ano de implantação me ligaram de um jornal local querendo saber o que eu pensava sobre ela. Tipo, se faria diferença para meus alunos da alfabetização. Eu falei que não. Pois eles estavam iniciando o aprendizado à respeito da língua, porém, com certeza, faria grande diferença para nós que já passamos pelo processo de alfabetização. Ou seja, algumas coisas teríamos que "desaprender" para dar lugar à outras regrinhas. Enfim, realmente foi complicadinho para alguns. Eu tirei "meio que" de letra. Mas, o tal do emprego do hifem ainda me pega de jeito, viu?

      Então vc já foi monitora em escola? Que legallll!!!!

      Nunca trabalhei com adolescentes, mas tenho vontade. Apesar que minha praia mesmo é trabalhar com crianças! rs

      bjksss

      Excluir
  18. ai, sempre fui apaixonada pela língua portuguesa, tinha cíúmes, cuidava delas (letras) como se cuida de um filho! e a minha formação é em pedagogia, mas desde pequena qdo aprendi a ler me apaixonei, cobrava dos alunos até o acento gráfico na palavra, sem o acento, se ela tem, não é mais a mesma palavra certo?! vivi grandes momentos em sala de aula, alegrias e tristezas, mas foi um aprendizado inesquecível! e essas crianças que passam pela vida da gente fazem valer cada minuto com elas! bj joicy!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shan, é sempre bom recordar né? Passamos por muitos momentos importantes na sala de aula. É um aprender diário, tanto para os alunos quanto para nós professores! Adooooooro...

      Obrigada, querida...

      bjks

      Excluir
  19. Muito divertido este post. Show! E não só, realmente tem coisa séria. Quando restringimos a concepção das crianças dizendo-as "erradas" por que destoam da concepção mais comum ou simplesmente da nossa... isto é coisa seríssima! A escola infelizmente atuou e atua assim até hoje. Fiquei feliz por saber que com a professora Joicy é diferente!
    Abraços,
    Primo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primo Rodrigo, fico sempre muito contente quando vc aparece aqui. Ahhhh, vc tocou num assunto pertinente. É um grande problema quando o professor pensa que é o dono do saber. Estava até comentando com a Elisa, em um dos comentários anteriores, que recordo-me quando eu era criança e os professores só aceitavam um tipo de resposta. Era como se apenas existisse uma verdade. O tal olhar fora do quadrado não existia. Sei que muitos colegas ainda trabalham nessa perspectiva, mas muito mudou e melhorou. Isso é bom...

      Obrigada, viu!?

      bjks

      Excluir
  20. Joicy, um beijo no seu coração. De fato, a nossa língua é extremamente difícil e complexa, tanto no falar, como na escrita. Adorei a história que enriquece mais ainda esse tema.

    ResponderExcluir
  21. Eu tenho inúmeras historinhas pra contar, que envolvem confusões com palavras parecidas, ou com mais de um significado, isso é hiper comum no cotidiano do banco, os causos vão desde o moço que queria receber seu "acostamento" do INSS, ao rapaz, para quem eu disse que era para ele ir no caixa resgatar um alvará judicial, e ele foi para a Caixa... No entanto a história mais engraçada aconteceu uma vez que eu estava atendendo uma cliente e meu gerente me perguntou: "você já fez o despacho do fulano?" (despacho é um texto que fazemos junto com operações de crédito de grandes valores, para justificar a dispensa de determinados documentos e o acolhimento de outros). A cliente, com o olho arregalado, virou pra mim e disse: "'Crendeuspai' moço, num mexe com esse negócio de macumba não que isso que isso traz atraso de vida...", sério, eu nem consegui explicar pra ela o que realmente era despacho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. J. Bruninho, chorei de rir aqui! Ri litrossssss!!! Essa do despacho foi pra matarrr... eu teria caído na "gaitada" na frente da mulher! Xéééssuis!!!!

      Essas situações nos colocam em cada saia justa, né? hahahahahahh... muito engraçado!

      bjks

      Excluir
  22. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Ah Joicy, depois de um dia cansativo de trabalho, só vc mesmo prá me fazer rir. E a menina não estava errada, melhor do que o cabeleireiro que "só mente aos domingos" (kkkkkkk). Eu não sou professora, aki eu até escrevo bem errado, mas vc viu tanto no meu post, quanto na carta que eu te escrevi que eu procuro não "matar o português", é uma matéria que eu sempre fui bem na escola, tem regras que eu me lembro até hoje. Se vc ver o que advogados escrevem de errado, vc iria cair de costas. Uma vez eu peguei uma petição começando assim: Esselentíssimo Juiz de Direito........... Mas esse caso foi proposital. Entendeu? Em vez do x o cara colocou dois ss, dá um outro sentido. Nooooossa, deu pano prá manga (manga de camisa, não fruta). Bjão no coração.

    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LuZinha, vc escreve sempre observando direitinho. Não se preocupe, 'afilhadaaa'(hihihihi... gostei, viu?!)! Assassinar o português deveria ser crime inafiançável(principalmente como em casos como o So Mente aos domingos)! hahahahahah ... mas, sabemos que em alguns casos é sem querer. A pressa é grande inimiga da perfeição. Ainda mais nesse mundo virtual onde queremos dar as respostas imediatamente. Aí, vez ou outra escapa um errinho, né? rrsrsrsrsrs

      Poxa, achei muito bem bolada essa do esse lentíssimo juiz! Caraca... a pessoa devia estar de saco cheio de nosso sistema jurídico, heim? rs

      Valeuuuuuuu... bjks

      Excluir
  23. Ola Joicy, muito legal seu texto!

    Sabe essas palavras que tem vários sentidos não são exclusividade da língua portuguesa, no inglês penso que a coisa é até pior, pois acho o português ( que me desculpem os profissionais da língua inglesa )mais completo que o idioma da rainha da Inglaterra.

    Sabe, também sou professor, só que dos mais "altinhos", mas fico sempre de boca aberta com os "causos" que as professoras dos mais "baixinhos" contam. Essa que você contou é um bom exemplo de como as crianças podem ter um olhar diferente e, digamos (termo meu) "não viciado" sobre uma imagem, música, etc. Como foi o exemplo da patinha!

    Certo é que essa história dava um bom exemplo para colocar em um livro psicotécnico.

    Abraços, Flávio.

    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flavinho, tudo bem? Ah, mas vamos combinar, né? Nossa língua é complicadinha. Porém, como já falei acima, em alguma resposta, sou apaixonada por ela. Adoro mesmo, confesso. Então vc é professor? Que coisa boa!!! Sei que não estamos numa fase muito boa, pois a desvalorização é enorme, mas gosto muito de lecionar. Estou nessa por escolha e vocação! Eu sempre tive curiosidade de lecionar para adolescentes, mas acho que minha praia mesmo é crianças. Gosto muito dessa faixa etária. Principalmente quando estão descobrindo o mundo da leitura e escrita.

      hahahahahah... verdade, fatos como esse caberiam num livro psicotécnico mesmo!

      Valeu... bjks

      Excluir
  24. Desejo para o Dia Internacional da Mulher,um dia especial... deixo aqui meu carinho e mil flores para enfeitar tua caminhada desejando, minha doce amiga, muitas felicidades e que a tua alma seja uma eterna primavera.
    Bjsssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Severa!! Igualmente, querida!!

      bjks

      Excluir
  25. Oi querida,

    Demorei, mas cheguei e rindo litros, pois pensei em patinha de siri ou caranguejo. Então, ninguém fica mal na fita, mas pensei também naquela celeuma dos livros do MEC que orientavam a se escrever como se fala. Pensei que tragédia! Só o Brasil para inventar novos significados e formas para a comunicação. Não penso que uma língua não possa se aperfeiçoar, mas é complicado, pois aí lembro dos nomes inventados, principalmente, no Nordeste. Na França existe até catálogo como os nomes que se podem registrar, na língua inglesa não tantas possibilidades de flexão e por que no Brasil se insiste em inventar.

    Ótimo como sempre! Encantada! Beijos nosso dia!

    Cuide-se!

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LuLuzinha, que bom vc aqui! Gosto muito de ler vc... rsrsrs

      Ahhh, patinha de siri... nhamnham... me gusta mucho!

      Eita, a nossa língua tem mesmo dessas coisas. Por isso eu estava falando para os meninos(Ricky e Flávio) em uma das respostas. Acho que nosso idioma é cheio de complicações. Penso que é uma grande dificuldade para quem é de outro país, tentar aprender nossa língua! Fatão!!!

      Valeu, querida...

      bjks

      Excluir
  26. Joyce realmente o a nossa língua mater tem dessa coisas. Eu acho que a linguagem tem que ter liberdade e nunca libertinagem.
    A menina fez certinho, pois ela decifrou o código línguístico diferente de você. E num é que as duas estavam certas?
    Um dia uma aluna chegou para mim e disse: " Professora me dá a apostila que a senhora fez pra mim tirar uma xerox". E eu já "fula da vida" pq já havia ensinado a questão de "mim e eu" falei: "Para EUUUU tirar xerox né? E ela na maior simplicidade disse: "tanto faz professora, pode ser eu ou a senhora, se for a senhora que tirar eu te dou o dinheiro depois pode ser?"
    Uma colega que estava ao lado riu pra morrer...
    E uma aluno que tinha problema na dicção veio até mim e pediu:" Professora você me empresta uma "eguinha". Eu disse que não tinha uma eguinha pra emprestar pq era um animal e devia ficar na fazenda. Ele disse: Não tia, é a "eguinha" pra riscar e o tracim ficar reto..." Depois esse mesmo aluno, disse que gostava muito de "facas". Eu disse pra ele que era perigoso gostar de facas na idade dele. Ele perguntou: "E porque elas chifram??"
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk A gente "rala" mas se diverte também né Joycinha?
    Beijokas doces menina linda e um dia da mulher espetacular!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marly, é justamente essa compreensão de que nem sempre o que é diferente de minha concepção está errado, que precisamos ter em mente. O problema é quando empacamos e não conseguimos olhar além, né?

      Eu ri liiiiiiiiitros de seu aluno. Tanto da "eguinha", quanto o relato da "faca"... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Ai gente! Por mais difícil que seja a vida de sofressor, temos sempre o que aproveitar!

      bjkssss e obrigada, viu?

      Excluir
  27. Lininha..venho ler tua postagem amanhã..meu olho já não quer mais ficar aberto..
    inclui um video de uma musica na postagem.. eu acho que não é seu generop musical..mas te convido a fazer este sacrificio..rs
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi queridinhaaaa! Voltei lá e vi. Malu, né? rs... tipo, eu até ouço, se estiver passando no rádio, mas não paro pra colocar CD. Nem tenho. Vou ouvir com carinho, só pq vc pediu! rsrsrs...

      bjks

      Excluir
  28. Que engraçado. Eu juro que tinha mudado já.

    Mudei de novo e continuou com o mesmo nome. Cliquei aqui e entrou. Vamos ver se agora vai :D

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jim, valeu... o nome continua o mesmo sim... só o endereço que mudou.

      bjks

      Excluir
  29. eheheheeheh
    Esta é a magia sacana dos encantos e desencantos das significações da palavra... da língua portiguesa!!!
    Amei!

    ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que, por sinal, nos pega de jeito.... rsrsrs

      Valeu, Karla!

      bjks

      Excluir
  30. Olá JOICY,

    no seu dia, minha lembrança, meu afago e todo meu respeito.

    Parabéns Joicy, mulher!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  31. Adorei!!!

    Que interessante esse tema da língua portuguesa não é?
    E a sua aluninha é ótima!!!
    Particularmente adorei a postagem! Esse é um assunto que tem muito a ser discutido!
    Um Super Beijo Nemmmm...rsrs.
    Beijoooos*

    http://luahmelo.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, essa danada nos pega de jeito! rsrs...

      Ah, ela foi ótima em seu conceito da palavra! hahah

      Obrigada, querida! bjks

      Excluir
  32. E dá-lhe Piaget nessa história aí, hein, Joicy? hehehehe

    Mas como boa professora que é você aproveitou a oportunidade para trabalhar os diversos sentidos que uma palavra pode ter. Ser professor é isso: trabalhar com essa diversidade e ser surpreendido com o conhecimento ( e informações) que as crianças já trazem ou criam. Eu acho que momentos com este são enriquecedores para os professores, pois podem até repensar o planejamento e trabalhar em cima de algumas dificuldades demonstradas pelos alunos.

    Lembrei-me de um aluno, mas este em língua inglesa de um curso de nível técnico que eu lecionei, revoltadíssimo com a marcação errada que eu dei em uma de suas respostas. Ao invés do aluno escrever "He is a good person", ele escreveu "he is a god person".

    - Pô, fessô, por causa de uma letra o sr. dá errado?
    - Uma letra faz toda a diferença.
    - Não aceito. Vou à diretoria reclamar.
    - Antes, pegue o dicionário e procure a diferença entre "good" e "god".

    ( sei que você sabem Joicy, mas lá vai mesmo assim: good = bom,boa e god =Deus)

    Resmungou, mas fez isso. E aí o cara vem com aquela cara de "Ah, é mesmo...né...é...mas podia considerar...é...". hahahahaha

    A língua inglesa também é uma danada! hehehehehe

    Beijos! E desculpe a demora em aparecer. Tô querendo tirar férias de blog rs

    PS: deve ser o blogger com birra, mas não vejo suas atualizações lá na minha lista de blogs. Sei lá o que acontece. :(

    ResponderExcluir
  33. pois, é verdade, querida joicy, nem sempre o que parece o é, do mesmo modo que nem sempre o que vemos é o que os outros tocam. de ambiguidades se faz o mundo e a principal forma de o percecionar: a linguagem. reduzir o espectro de ambiguidades é, talvez, a tarefa. ups, aonde vão, assim, parar os poetas? :)

    beijinho!

    ResponderExcluir
  34. Realmente a língua portuguesa é bela e provoca inúmeras interpretações.
    Criatividade é tão importante como a educação.
    Despertar nas crianças aquilo que elas têm de melhor.
    Desenhar, por exemplo, é tão importante como matemática.

    “Sem a educação
    das sensibilidades,
    todas as
    habilidades
    são tolas e
    sem sentido.”

    Também tenho uma historinha que diz assim: “Uma criança gostava de sentar-se na última fila da sala de aula. Num determinado dia o professor foi até ela e disse: O que está desenhando? Ela respondeu: Estou desenhando um retrato de Deus. Mas ninguém sabe como é Deus! Ela tranquilamente respondeu ao mestre: vão saber num minuto!
    Esta é a magia das crianças!

    Parabéns pelo seu espaço!

    Cida

    ResponderExcluir

Olá! Faça seu comentário!

Mas, NÃO DEIXE DE LER A POSTAGEM! ;)

Sinta-se a vontade!!! Sacomé, né!? Se você leu e chegou até aqui, não custa nada comentar... :)