13 de dez de 2011

Mataram o Papai Noel?

Olá, queridíssimos!!!

Primeiramente quero agradecer por todos que têm comentado sempre aqui no Blog. Afirmo categoricamente que reativá-lo foi a melhor coisa que fiz nos últimos meses. Tem sido uma terapia para mim. Fiquei maravilhada com a participação de vocês em minha última postagem! Foi um aprendizado!!! Vocês não fazem ideia do quanto têm acrescentado em minha vida. Não só os comentários de vocês por aqui, mas também poder visitá-los e ler essa variedade de maravilhas que circulam através dos blogues amigos. Enfim, é isso!
Vamos ao post do dia, então!!! Final de ano está aí, não é mesmo!? Aproveitarei essa postagem para falar um pouquinho sobre o Bom Velhinho... hohoho... antes, quero esclarecer que nããão falarei sobre o natal, neeeemmmm tratarei, no texto, do assunto no aspecto voltado para religiosidade, sendo assim nããão abordarei nada referente ao que seja "falso" ou "verdadeiro" sentido, sobre essa data. Digamos que o papo aqui está mais para uma brincadeira (séria??)... Vejamos!

Vamos lá, entonce! 
Essa época do ano é muito especial para mim, não pelas festas em si, mas porque o ser mais lindo do MEU universo nasceu, no dia 25/12/2001, meu filho Gustavo. (Exatamente, durante a ceia de natal a bolsa rompeu. Cena de filme!!! Mas, isso é conversa para outra hora! rsrsrs)

Já que estamos falando sobre meu filho, deixa eu contar como foi nossa atitude com ele, nessa historinha de Papai Noel.  De certa forma, nós alimentamos por muito tempo a crença dele no barbudo de gorro vermelho. Na verdade eu sempre tive grande dificuldade em falar às claras, com Tavinho, que o bom veinho não existia. Achava uma judiação. Ownnnnn...

Mas, nós nunca tivemos o hábito de dizer para ele que o "capitalista" da barba branca daria o que ele quisesse. Eu mirabolava algumas coisas e explicava que era só um presente simbólico. Sacomé, né!!? Eu que não ia deixar o Barbudão ganhar fama às minhas custas

Lembro-me que, quando ele tinha 4 anos, acordou e viu o embrulho, encostado na parede, embaixo da janela e veio correndo me dizer "MÃE, O HOMEM ARANHA É O PAPAI NOEL!!". Não consegui me controlar e caí na gargalhada! Pô, mas faz todo o sentido, afinal nós moramos no 13º andar!

Teve outro episódio muito engraçado, tbem. Foi quando Gustavo passou vários meses sem poder tomar nada gelado, por causa de problemas na garganta. Aí, eu tinha esquecido de comprar o presente pra dar em nome do io , foi então que resolvi embrulhar um sorvete(ele amaaa) que tínhamos comprado no dia anterior e, quando Tavinho acordou, corri pra colocar embaixo da cama. Quando viu, ficou com os olhinhos brilhando e sorrindo. Quase não acreditou! Acho que foi o melhor presente que o Senhor HoHoHo poderia ter dado à ele.

Mas, essa crença durou até meados desse ano, quando decidimos sentar e conversar com ele a respeito. Percebemos que já era hora, pois ele já estava com muitas perguntas... rsrsrsrs... eles crescem, né!?
Foi muito engraçado, pois quando marido e eu terminamos de falar, Gustavo imediatamente virou pra mim e disse algo mais ou menos assim: "AH RA, SUA DANADA, ENTÃO QUER DIZER QUE AQUELA CARTA NÃO ERA DO PAPAI NOEL! BEM QUE EU PERCEBI QUE TINHA CARA DE MÃE AQUELA CARTA!" ... Glub! Pega em flagrante! 

Então, é isso! Postarei algumas imagens(buscadas do papai "Gúgol"). Aí, vcs podem mandar bala nos comentários e dizer o que pensam sobre incentivar as crianças a acreditarem no Véio Natalino! Ok??? Não se acanhem!!! Entrem na roda, puxem a cadeira e sintam-se a vontade para comentar!!!

Aí é maldade!

 Estão criando monstrinhos?

Estão iludindo a garotada?!? Aqui sim, é maldade!!

Então você já sabe! Se por acaso, o Veinho do Polo Norte não aparecer, ele foi se divertir por outras bandas!! Quem sabe, esticou as férias...
 Câmbio, desligo!

35 comentários:

  1. Sabe qual é uma das lembranças mais antigas que tenho do natal? Ela não tem nada a ver com papai noel, acho que minha mãe nunca se preocupou tanto em alimentar em mim este tipo de fantasia, hoje lembro de quando eu encontrava o meu presente escondido no fundo do guarda roupa dias antes do natal, no geral eram coisas bem simples, mas elas me tocavam de uma forma toda especial, a magica do natal para mim estava toda na minha mãe e no meu avô, eram eles que se viravam para comprar, que substituísse o presente encontrado para não deixar passar em branco a data especial... Voltando à lembrança de que lhe falei, ela é de um natal em que minha mãe comprou nossa primeira TV a cores, lembro que na manhã do dia 25, o primeiro desenho que assisti foi um especial, no qual dois personagens (se não me engano um rato e um cachorro) tinham combinado de passar a noite acordados para ver o papai noel chegar, o dia está então quase amanhecendo e o bom velhinho não chega, eles decidem então procurá-lo já descrentes de que ele exista, nesta jornada eles encontram pessoas necessitadas que eles ajudam e também outros amigos que já receberam seus presentes... na volta para casa, eles reencontram lá os amigos e aqueles a quem ajudaram, estes tinham levados presentes... no final o papai noel aparece sobrevoando a casa no trenó e pisca o olho... Aquilo foi mágico! Outro natal que gosto de lembrar, foi um no qual minha mãe gastou todo seu 13° de empregada doméstica para comprar um presente melhor pra mim, saímos na noite do dia 24 e ela comprou o "Clube do Gugu", que era uma espécie de kit com 12 jogos de cartas e tabuleiro... Mágico!

    ResponderExcluir
  2. Os esforços pra encobrir a não existencia do bom gordinho nunca foram muito grandes, não lembro de quando deixei de acreditar mas lembro q nunca tive muita alegria com ele, quando eu era pequeno gostava dos presentes e hj sinto falta do sentimento humano q o natal carrega q as pessoas deixa morrer no resto do ano. Quanto a incentivar a imaginação das crianças com certas fantasias é bem bacana mas eu acho importante não deixar chegar no ponto q vire uma mentira, achei bacana como vcs fizeram com teu filho e acho q deu certo pela reação dele.

    ResponderExcluir
  3. Joicy!!!!!

    Olha, to pasma com a esperteza do teu filho sobre a carta..hohohohoh. Tipo, eu não lembro quando foi que deixei de acreditar o Papai Noel...minha mãe jura que foi quando eu era pequenininha e puxei a barba falsa do Papai Noel e depois daquele dia nem acreditei mais kkkkkk.

    Acho que contar essas histórias folclóricas para as crianças é legal mas sempre deixar claro que não são reais...farei o mesmo no quesito histórias religiosas com meus filhos..eles hã decrescer agnósticos u.u.

    Sério que vc também é fa dos clássicos Disney?? Não acredito!!! Garota, temos mesmo muito em comum!!!
    Agora é que a conversa vaI aumentar kkkkk.
    Tirando essas adaptações atuais de certos contos que são deprimentes (vide a ersão da Chapeuzinho Vermelho) esses clássicos da Disney são o tipo de coisa que sempre que revemos notamos algo á mais..os desenhistas eram muito bons. E nessa linha d, vc conhece o Teatro dos Contos de Fadas, que passava na TV Cultura e que á cada capitulo contava uma história, sempre tendo algum ator ou atriz famoso?

    Eu estou tentando me cuidar e não me cansar tanto mas até me acostumar a não ficar sobrecarregada é dificil...sem contar que eu fico cansada no trampo masnão posso abandonar meus hobbys e coisa e tal..e preciso ir pro rolê também kkkk.

    Sobre o blog sei muito bem como é. De uns tempos para cá o meu blog está me tomando um tempo danado! Tanto é que até abandonei uma fanfic em prol dos artigos e sessões cosplay. Eu estava chegando ao ponto de todo dia ter que cuidar do blog por conta de comentários e etc. Ainda está assim mas estou tentando controlar melhor meus afazeres e coisa e tal. Quero ver se tomo vergonha na cara e esse feriado de natal eu consigo deixar vários posts prontos.

    Eu entendi muito bem sua lógica acerca da qualidade decadente de filmes ultimamente pois penso do mesmo jeito. Hoje em dia só pensam em lucro e deixam o roteiro de lado. Ah Théo e Isabelle...depois que os conhecie vi a sensibilidade e profundidade de seus sentimentos passei a enxwergar essa possibilidade em outros casais..particularmente no anime (o mais fenomenal que já vi) chamado Monster. Os gêmeos Johann e Anna poderiam muito bem ser uma versão de Théo e Isabelle..com a diferença que Johann é o psicppata mais incrivel e encantador que já vi.
    Meus Deus..eu não conheço esse filme!!! Já estou até anotando o nome aqui e pedir para o meu pai ninja baixar!
    Imagino o que vc passou quando as pessoas não entenderam a mensagem do filme. O incesto é algo que as pessoas abominam de uma forma absurda que chega até a ser doentia ahahs e nem dão tempo para analisar a situação.

    Bom tempos atrás eu até debatia religião quando me aporrinhavam mas agora...nem faço isso mais simplesmente ignoro e deixo pra lá. É impossivel dar pérolas aos porcos religiosos ahshashahsahshas. Deixe eles pra lá dando seu dinheiro para os outros u.u.

    Vou te aporrinhar até que vc comece a ler Anne Rice! Ah mudando de assunto..vc conhece a série de quadrinhos Sandman? Eu irei fazer o cosplay da Morte =).
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Joicyy num tenho nada contra acreditar em papai noel, acho que as crianças devem ter o direito de sonhar, imaginar e tals, eu só não concordo com essa febre consumista de natal que diz que você tem que ganhar presentes e só isso, acho que natal é mais que isso e estão pevertendo as crianças. mass o gustavinho sei que é um cara legal :) Adorei o post e só dizendo meu comentário sobre o post anterior posteoi no meu blog que a senhorita tem que visitar http://deliriunscotidianos.wordpress.com/
    beijoss

    ResponderExcluir
  5. Oi Joicy, adorei a história do Gustavo, acho bacana conservar a inocência das crianças o máximo possível, já que hoje em dia elas tem amadureccimento tão precoce. Eu sempre fui meio ingênua e meu pai incentivava a crença no bom velhinho, eu escrevia cartinhas endereçadas ao Polo Norte e pedia pra ele colocar no correio, ele confessou mais tarde que se divertia com as cartas. Quando não ganhava o que queria ele me convencia que aquele era o melhor presente e eu ficava toda satisfeita (ingênua!). Era o máximo o natal pra mim, fingia que estava dormindo e depois corria até a árvore de natal pra ver os presentes. Até que um belo dia, minha irmã mais velha descobriu a verdade e resolveu me contar...Me mostrou os presentes embaixo da cama dos meus pais...Fiquei arrasada, e pra não magoar meu pai, fingi que acreditava por mais um tempo.

    ResponderExcluir
  6. Ah, mas não tinha como a postagem não ser um sucesso. Foi muito bem escrita, o que incentivou o povo a comentar.

    Haha, acho que sim. Meus avós maternos como disse são pouco estudados, mas possuem um grande conhecimento histórico desse período entre guerras, nunca canso de ouvir seus relatos. E realmente é bastante curiosos como é possível você dividir sua vida antes e depois de algum acontecimento marcante, nunca tinha pensado nisso, mas é algo que acontece mesmo. E descobrir o gosto pela leitura não tem como marcar a vida de alguém, afinal, o que mais pode mudar a vida de uma pessoa se não a leitura? Já não dizia Monteiro Lobato que um país é feito de homens e livros? rsrs. Então pelo jeito você deveria ser uma daquelas garotas que sempre se via carregando algum livro para todo lado já que não largava deles nem no almoço haha.

    Opa, Heavy Metal também é cultura rsrs.
    O "The Hobbit" é o livro que antecede a trilogia de "The Lord of The Rings" e sucede "The Silmarillion". Relata a história de um hobbit pacato, Bilbo Bolseiro, que é "convidado" por um mago, Gandalf, a entrar numa aventura como "ladrão" em uma comitiva de mais 13 anões. Os anões tinham objetivo de recuperar o tesouro há muito tempo roubado de seus palácios por um dragão chamado Smaug. Porém ele tem um uma escrita bem diferente das demais obras fantásticas de Tolkien, pois foi o primeiro livro de ficção fantástica escrito por ele, que inicialmente havia escrito para seus filhos e não para publicação. Possui uma linguagem bem mais simples e uma leitura super leve mais indicado ao público juvenil, apesar de que a escrita super detalhista de Tolkien está presente no livro e o torna cadenciado no desenrolar da história, podendo ser maçante para a geração fast-food rsrs.
    Que bacana, tanto seu filho como marido gostam de mangás então. É impressionante como os mangás ganharam o mundo nos últimos anos.

    Esses dias eu estava pensando como é que os pais fazem para destruir a imagem do Papai Noel quando vão contar a verdade para seus filhos, deve ser bem problemático rsrs.
    Lembro que deixei de acreditar no velho barbudo antes mesmo de minha mãe conversar sobre isso comigo. Na primeira vez que voltei a Portugal acabei tendo contato com grupos Neopagãos em que as pessoas me disseram que Papai Noel era um símbolo do capitalismo rs. Na época não entendi o que queriam dizer, mas eu nunca tinha acreditado plenamente num tiozinho que possui renas voadoras. Depois do contato com essas pessoas fui tirar satisfações com minha mãe rs. Particularmente, acho que não alimentaria em meu filho a fantasia do Papai Noel, não conseguiria tirar da cabeça que o estaria fazendo acreditar em uma mentira, em uma atitude antiética, em uma forma de subverter o real significado dessa data e de alimentar ainda mais o consumismo. Em nenhuma época do ano a hipocrisia se torna tão escancarada, e a educação contraditória se faz mais visível, o que me dá até certo nojo dessa época do ano.
    Acho que acabei sendo um tanto radical, mas é basicamente isso que penso do natal rsrs.

    ResponderExcluir
  7. As minhas filhas já sabem que Papai Noel não é de carne e osso e sim uma figura que representa alguma coisa a depender da comemoração que se refere. No caso do Natal, o Papai Noel é a figura. E ninguém morreu ou ficou traumatizado. Engraçado foi quando minha caçula colocando os neurônios para funcionar disse: Mãe, vc também é a Fada do Dente? Pois se for, vc me deve um dinheirinho, viu?
    kkkkkkkkkkkk
    Ela colocou o dentinho debaixo do travesseiro sem me contar, então no dia seguinte não tinha dinheiro, justamente por eu não saber!kkkkkkk
    Bom dia, Joy e a todos!
    Theka
    Faceboock: Sra Szulczewski
    hsimagem@gmail.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Joicy!!
    Você e essa sua nova mania de fazer seus leitores e amigos se lembrarem do passado né? Tudo bem, vamo la então... assim como a Tsu, não me lembro quando deixei de acreditar no papai noel, acho q foi quando descobri quem tava usando a roupa dele no dia. Então vi que não podia ser ele, e que o bom velhinho na verdade não aparece, ele é muito tímido... hahahahahha... obviamente eu não acredito que ele exista, mas é legal fingir que existe alguém que, magicamente, entrega presentes para 7 bilhoes de pessoas em menos de 6h, e pela chaminé hein. Lembrando que muitas, mas MUITAS casas não tem chaminés. O papai noel sou eu, é você, somos todos nós. Qualquer um que de presente é o bom velhinho. Essa é a verdadeira magia do natal.

    Pois é, o Rubens ta bem encrencado agora. O jeito é esperar pra ver como ele vai sair dessa. E agora que a senhorita voltou, ve se não some mais hein... hehehehe
    Se cuida
    Bjuss mocinha!

    ResponderExcluir
  9. Meu pai sempre me disse: "Seu papai Noel sou eu, que pago suas contas."
    Simples assim.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Mas seu filho é genial, hein? Morri de rir com a história do homem aranha.

    O Noel cagando na chaminé. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Eu já vi uma imagem também do Noel bêbado e mijando na árvore de natal.

    Puts, tadinho do menino negro e esfarrapado. Eu ri. Infelizmente é a pura verdade.

    ResponderExcluir
  10. Nossa! Sua bolsa rompeu em plena ceia!!! Cena de filme mesmo!

    kkkkkk Gostei da abordagem! Nada de deixar o Noel levar a fama e você gastar a grana! hehe

    kkkkkkkkkkk Adorei o comentário dele "mãe, o homem aranha é o papai noel". Super inteligente, pois devido ao apartamento ser no 13º andar, chaminé era meio difícil ter e imaginar o Noel subindo de elevador mais ainda... hahaha

    Adorei as imagens que postou, acho hilária a do menino chorando no túmulo do Noel. rs

    Sinceramente adorei o modo como abordou e lidou sobre o mito do papai noel com o seu filho. Acho que até hoje não conheci ninguém que o fez tão perfeitamente. Quando tiver meus filhos vou abordar o mesmo método... hahaha
    Sério você manteve a esperança e a "ilusão" da figura do papai noel para ele, enquanto era necessária e quando ele começou a crescer, obviamente ele logo iria descobrir a verdade sobre a inexistência do Noel, então você e seu marido conversaram com ele corretamente explicando tudinho.
    Eu amei!!!!
    Mas ainda estou com a cena de hollywood na minha cabeça: sua bolsa estourando em plena ceia de natal!!! hahaha

    Beijão Joicy

    ResponderExcluir
  11. J. BRUNO, seu comentário fez me lembrar de tantas coisas da minha infância! Minha mãe teve que “ralar” muito pra conseguir sustentar a mim e meus dois irmãos, mas, apesar de todas as dificuldades que passamos ela sempre dava um jeito de comprar nosso presente de natal. De certa forma, fazíamos uma verdadeira caça ao tesouro, quando chegava essa época. Sempre achávamos o esconderijo, mas nunca conseguíamos ver o que tinha dentro dos embrulhos! Achei lindo seu relato. Acho maravilhoso poder recordar momentos tão belos como esse que vc relatou... bjinho

    LEO, acho que essa questão é uma das mais necessárias. Vou confessar para vc que gosto muito das festas, sim. Mas, sabe, aqui em casa posso dizer que podemos “morrer com a consciência tranquila”, pois buscamos cultivar os valores humanos durante todo o tempo e não somente nessa época. Nem me refiro à questão religiosa, até mesmo pq não seguimos uma, mas sim pela valorização do próximo. Esse amor todo que corre “lindamente” nesse período(muitas vezes de forma hipócrita) nós buscamos ter de maneira sincera sempre! Ah, a reação do Gustavo foi muito boa mesmo. Não haverá trauma! Kkkkk bjinho

    KELY, oi lindinha! Bom ver vc por aqui! Rsrsrsrs... pois é, eu tbem não concordo com essa febre consumista, que por sinal permeia por TODAS as datas especiais. Virou uma loucura... e tende a piorar! Adooooooorei sua postagem, sobre sua história de leitura! Estou muiiito satisfeita com a repercussão que minha postagem anterior... super beijo, lindona!

    CAROL MACHADO, minha queridona... adoro ver vc por aqui! O Gustavo tem muita história pra contar... rsrrsrsrs... pra falar a verdade, não sei dizer quando deixei de acreditar no bom velhinho... nós, que temos irmãos mais velhos acabamos descobrindo as coisas muito antes. Sua irmã, heim? Que maldadeeeee! Kkkkkkkk... ainda bem que a gente supera e não fica trauma algum, né!? Hahahahaha bjks

    THEKA, que legal a forma como as meninas lidam com essa questão do Papai Noel... hahahhhahahah... a Gabinha é muito esperta! Adorei a “sacada” dela sobre a fada do dente. Bobas somos nós!!! Kkkkkkkk bjksss

    RICKY OZ, sabe que estou gostando desse lance de lançar uma ideia em forma de perguntas, para que vcs participem!! Estou simplesmente adorando!!!!!!! Ahhhhh, seu danadinho, vc é do clube da TSU é?! Desses que fica vigiando o veio natalino pra descobrir qual é a dele!? Rsrsrsrsrsrsrsrsrs Ah, pode deixar, vou ficar de olho no Rubens... agora eu voltei pra ficar! Heheheh

    Bjssss

    LAY, seu pai é curto e grosso, heim!!!??? Kkkk rilitros!!!!

    Ah, meu Gustavo é uma graça! Tem cada uma que daria um livro! Hahahahahah... Tbem adorei as charges... cada uma mais hilária que a outra... e com super fundo de verdade em todas elas, né?! Bjnhos

    BLAKE, oi dona linda! Pois é... ainda contarei minha história da noite em que a bolsa “estourou”! hahahahahaha... foi uma noite inesquecível!

    Ahhhhh, mas esse veinho que não me venha com graça de achar que vai levar a fama às minhas custas! Kkkkkkk... aqui não! Pois é, Tavinho é um menino observador... acho que puxou a mim! Heheheh... tem umas sacadas ótimas(nesse quesito ele parece muito com minha sogra tbem)! Rolo de rir...

    Sobre a forma como lidei com essa questão do imaginário... foi a melhor forma que encontrei para não tirar o encanto. Acho que me saí bem... rsrsrsrsrs... Achei que seria o melhor jeito, pq na escola, mais cedo ou mais tarde, algum colega abordaria essa questão. bjssss

    ResponderExcluir
  12. TSUnâmica, sua linda! A verdade é que meu filho vive me surpreendendo com suas “sacadas” de mestre! Ele tem cada uma, que deixa de cabelo em pé... rsrsrsrsrsrsrsrs ... ahhhhhh, sua sapequinha, então vc desmascarou o velho!?? Também concordo com vc, nessa questão de estimular a imaginação das crianças, pois a coisa não pode passar das estribeiras mesmo. Acho que o grande problema com o papai Noel, bem como com as datas comemorativas de modo geral, é a ideia consumista que gira em torno dela. Como eu disse no texto, tentei não desenvolver esse pensamento no meu filho. De certa forma, acho o Gustavo muito racional (talvez pq conviva muito com adultos, é filho único e os primos moram longe). Ele acaba não sendo muito ligado à essas questões de faz de conta(que são fundamentais para o desenvolvimento infantil). Porém, apesar dele ser desse jeito, tbem é muito ingênuo, ainda(o que é positivo, numa época em que as crianças estão se tornando mini adultos, muito rápido)! Por isso, acabo alimentando a imaginação, o máximo que posso! Acho que durou até muito tempo, essa crença no barbudo de gorro vermelho! Ser mãe e pai não é fácil, mas acho que estou me saindo bem. Rsrsrsrsrsrsrs...

    Sobre a questão religiosa, na educação dele, já declarei pra vc que não sigo nenhuma religião né!? Então, a questão é que semana passada ele me veio com a seguinte pergunta: “Mãe, tudo o que está escrito na bíblia é verdade? Porque a “fulana”(não vou citar nome... foi coleguinha da escola) disse que é tudo verdade, mas eu acho que não é.”... (eles sempre chegam com as perguntas mais difíceis e esperam boas respostas. Não adianta fugir!). Continuando, minha sogra, que é católica praticante, estava do meu lado nessa hora, mas ela não se envolve nessas questões. É super tranquila quanto às nossas escolhas e nos respeita muito nesse ponto(e vice e versa). Então respondi a ele que muitas pessoas acham que sim, é uma questão de crença. Para outras, é apenas um livro que foi escrito há muitos anos. O que precisamos é saber respeitar as crenças e não crenças de cada um(infelizmente, Tsu, sabemos que, na prática, muitos se esquecem desses pré requisitos, né?). Bom, só sei que me saí bem! Essa resposta foi suficiente, por enquanto. Agora é só esperar para as próximas perguntas do Tavinho. Rsrsrsrsrsrsrsrs... Eu sei que muitas outras virão!

    Ahhhhhhh, sim... adoro os clássicos da Disney. Sabe qual foi um que eu gostei muito, desses últimos que foram lançados? A adaptação “a princesa e o sapo”(que tem a princesa negra)... achei tuuuuudo de lindo! Curti muito, apesar de ter ouvido algumas criticas a respeito. Simmmm, conheço demais essas adaptações(teatro dos contos de fadas) que passavam na TV cultura. Eu amava! Lembro-me que eu assisti muitos, com meu filho, quando ele era pequenininho!

    Muito bem, se cuide mesmo! Para não ter uma estafa, tanto mental quanto física! Encontrar um tempoo para fazer as coisas que vc curte, é primordial. Mas, sei o quanto é difícil. Já estou pensando em como será minha vida ano que vem! :( Trabalharei o dia todo, novamente!

    Ahhhh, se vc conseguir assistir QUEIMANDO AO VENTO, me fala. Acho que vc vai se emocionar com a história do Tobias, que luta para encontrar sua meia irmã Line. É um filme de uma tristeza tão grande... não tem a intensidade de Os sonhadores, mas muito bom!

    Hahahahah... sobre Anne Rice, já estou reservando um período das férias para ler o delicioso Lestat! :P

    Bjksssssss

    ResponderExcluir
  13. MANFIO, pois é... a postagem “MINHA HISTÓRIA DE LEITURA... QUAL A SUA?” teve repercussão muito positiva! Fiquei muito feliz...

    Amigoooooo do céu, vc temmmmm mesmo muita história pra contar! Fiquei encantada ao ler sobre sua família! Isso é história!!!! Eu sempre falo para meus alunos, quando estudamos essa materia, que a primeira história que devemos estudar é da nossa vida! Tantas coisas para apresentarmos, que daria um livro! Eu sou apaixonada por isso tudo. Fotos, relatos, cartas de antigamente, etc... Fiz um curso, há algum tempo, onde a professora disse que eu deveria ter me tornado historiadora, por tamanha paixão que eu demonstro por essa área. Mas, a verdade é que amo lecionar para essa faixa etária, de 6 aos 10 anos, então acabo me envolvendo muito com todas as disciplinas dessas turmas.

    Eu sou encantada pela trilogia de "The Lord of The Rings", MAS MUITO DECEPCIONADA por não ter NENHUMA musica do Blind Guardiam na obra cinematográfica. ProntoFalei! Rsrsrsrsrs... sério, eu achava que deveria ter musicas deles, nos filmes. Seria tudo a ver! Pena... pena mesmo! Tipo, eu assisto os filmes e, em minha mente, só consigo escutar musicas deles, no decorrer dos filmes. Kkkkkkkkkkkkkk Já percebeu que tenho uma veia dramática, né!?

    Ah, sim... meu filho está numa febre por esse gênero, Mangá... tem desenhado muito, tbem! Temos estimulado bastante. Qualquer dia desses eu compartilho alguns desenhos dele. :)

    Bom, confesso que tenho certa birra por conta de todas essas questões por detrás das datas comemorativas... é tudo muito comercial! Nem vou entrar no mérito de “real” sentimento, pois sou a favor de se cultivar todos esses valores de respeito, reflexão, amor, bondade, união, harmonia e mais tantos outros durante todo o ano. É muito simplista e hipócrita achar que uma data vai fazer com que tudo seja diferente, se no dia anterior minha atitude era totalmente contraria. Não sou tão radical qto vc...rsrsrsrs... mas, na medida do possível, acho que tenho conseguido lidar com todas essas questões, com meu filho... pra vc ter uma ideia, enquanto eu estava escrevendo esse post, ele chegou em mim e viu a charge do garoto esfarrapado, e o bom velhinho gritando “segurança”. Ele questionou pq o “papai Noel” estava falando assim... quando expliquei ele olhou e disse, “é verdade, eu nunca vi nenhum menino assim lá no shopping. Eles proíbem eles de entrarem?” Foi então que tivemos uma longa conversa sobre essas questões... não sou de esconder as coisas. Acho que sempre chega o momento de saber sobre tudo e as respostas devem vir, claro, de forma que ele compreenda. Tipo, acho que se ele faz perguntas(e essas perguntas sempre vem), é pq espera por respostas. As respostas devem ser verdadeiras e é o que faço. Foi a mesma coisa com o Papai Noel. A necessidade dele, de continuar com a ingenuidade de acreditar foi até determinado momento, e, aqui eu não acho que entre a questão de ser antiético... é como cultivar a crença nos contos de fadas. O faz de conta, é parte fundamental no desenvolvimento da criança. O que não dá, é ficar alimentando uma crença capitalista(parece contraditório, eu sei, uma vez que essa criação vem nada mais que para reafirmar as questões do consumo). Não sei se me fiz entender... rsrsrsrsrsrs,,, qualquer coisa, pode soltar o verbo e questionar que eu tento me explicar melhor... falei sobre isso na resposta para a TSU, dá uma conferida lá que acredito que complemente o que eu quis dizer aqui... bjksss

    ResponderExcluir
  14. Que bacana seu texto Joicy. Sensacional! Tem razão quando quis manter por algum tempo a fantasia que Papai Noel existe dentro do seu filho, afinal, a fantasia faz parte do mundinho das crianças, e cortar isso é uma maldade com certeza. Me diverti lendo sua publicação. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  15. Garota Insônia 1
    ...
    CÃMBIO!!!!
    Garota Insônia 2 veio antes da madrugada rsrs

    Que ótimo post!
    Xii.... várias coisas para falar...
    Percebi que você está retomando o blog, como não te conhecia antes, fiquei na dúvida quando recomeçou (???), e quando tinha começado (???)

    Uma vez conversei com uma psicóloga infantil (sim, 1 vez, pois não sou muito dada a isso...), ela me aconselhou que se minha filha acreditasse no Papai Noel, tinha que seguir com a "mentirinha"; se ela não acreditasse, nã alimentá-la, dar a real. E foi o que aconteceu, ela nunca acreditou em Papai Noel. Lembro-me que com 2 anos dissemos que ela se comportasse se não o Papai Noel não viria dar presentes, etc... aquela velha conversa, ela respondeu algo do tipo, "vem sim é o papai"... xiii... matou nosso argumento. O presente desse Natal, ela mesma escolheu, fomos no fim de semana passado, todos juntos na loja, etc...

    Mas você mora no 13 andar? Tá louca? Tenho tanto medo de altura que não conseguiria morar em nada que fosse mais que o segundo andar... rsrs

    Perfeito, Garota Insônia 1! Aaaadorei!
    Beijosss

    CÃMBIO - DESLIGO ________________

    ResponderExcluir
  16. Olá :)
    Eu nunca acreditei em Papai Noel e depois desta historia kkkkkkk
    Foi engraçado ao mesmo tempo que bem diferente sabe? rsrs

    Beijos e obrigado pela visita

    www.rimasdopreto.com

    ResponderExcluir
  17. nunca irei esquecer a minha idade de mocinho pequenino em que minha mãe me fazia sofrer dizendo que me tinha de deitar bem cedo (dia 24) para acordar bem cedo (dia 25) e poder ir à chaminé ver os presentes deixados pelo velhinho das barbas brancas.
    ela tapava com um lençol todo branco os presentes junto da chaminé e sempre quando eu já estava na cama. bem... não nego que sempre acreditei no velhinho das barbas que descia pela chaminé na noite de 24 para 25 e o que é mais engraçado é que ainda hoje gosto de viver esse enredo teatral da minha mãe e ter os presentes de Natal junto da chaminé (agora lareira) embora já sem estarem tapados com um lençol. por outro lado...
    nunca consegui convencer o meu filho que havia Pai Natal e muito menos consigo que ele vá para a cama no dia 24 sem abrir primeiro os presentes.
    os tempos mudam mas ainda há tradições que se mantêm bem acesas. o Natal é daquelas que ainda me fazem reviver o meu passado como se ainda fosse hoje.

    o seu post está super carinhoso e seu filhote é... Hohohoho!

    resumindo,
    eu mantenho viva a imagem do Pai Natal logo evito denunciar junto das crianças que esse velhinho é uma farsa. adoro os seus sorrisos, os seus olhinhos bem brilhantes.

    vc é uma contadora de histórias e consegue contagiar seus leitores... sua brincalhona.

    bj...nho

    ResponderExcluir
  18. Ainda me lembro da minha tia me falando:

    - quem foi que disse para vc que papai noel não existe ?

    ai eu disse..ninguem, eu não sou bobo tia.

    acabei com a minha infancia,e com a dela pelo jeito. Abraço Joicy !

    ResponderExcluir
  19. Joicy, quero antes de tudo agradecer imensamente o seu relato no meu blog contando sobre como a artete auxiliou a superar a dificuldade de concentração e sinto que o mesmo vem ocorrendo comigo através do tempo. Seu comentário foi um grande incentivo. Muito obrigado mais uma vez pela força e pela presença no meu blog.
    Teu post sobre a relação da criança com o papai Noel também é de extrema importãncia pois em breve serei papai e estarei lidando com diretamente com tudo isso. A reação do teufilho foi muito bacana e o comentário do papai noel aranha foi genial...hehehehe
    Em breve estarei voluntariamente me vestindo de papai noel em um abrigo que frequento e adorei as charges do Natal...hehehe Grande abraço e Parabéns pelo teu blog Joicy Apareça sempre.

    ResponderExcluir
  20. voltando...
    é 1.46h da madruga, e Garota Insônia 2 está acordando...

    Você disse que seu filho nasceu dia 25 de dezembro! Nooooosssaaaaa! Que lindo isso! E a bolsa rompeu na Ceia de Natal... depois conta isso em outro post?

    Beijinhosssssssss

    CÃMBIO - DESLIGO ___________

    ResponderExcluir
  21. Hahahahahahahaha... Joicy querida que texto gostoso de ler. Olha essa coisa de Papai Noel não rola aqui em casa, como fadas do dentes e coelhinho da pascoa NUNCA tiveram vez aqui em casa, tudo por conta da minha infancia, onde eu tentava ser uma boa menina o ano todo e no final eu não ganhava NADA, desilusão por completo, pois a coleguinha da escola que era a pior menina de todas, ganhavam presentes maravilhosos e eu nem uma meia, vou te contar uma historia que aconteceu comigo quando criança.
    Eu devia ter uns 7 anos e acreditava de verdade que uma hora o Papai Noel apareceria pra me dar aquele presente, fui um excelente menina o ano todooooo, passei de ano com a nota maxima em todas as materias, que seria 100, respeitei pai e mãe, minha irmãs e meus colegas de escola e chegando fim de ano, fiquei louca de como seria meu presente, fiz a cartinha, coloquei em uma caixa de correio e esperei, na noite de 24 para o dia 25, fiquei acordada até umas 11 da noite, dormi e pra ter certeza que receberia o presente, coloquei a famosa meia do lado de fora da janela. Mas ao acordar não tinha NADA, nada... percebe a decepção da criança? NADA, chorei tantooo... mais tantoooo... que quase sequei todas que eu tinha, naquele dia percebi que o Papai Noel não gostava de crianças pobres, logico que com o tempo, soube que Papai Noel nunca existiu e que tudo não passou de engano e inocência de criança. Hoje mãe de 3 filhos, nunca iludi eles com o bom velhinho, quando alguém chegava pra eles falando de Papai Noel eu logo cortava e dizia: Papai Noel coisa nenhuma meus filhos, Papai Noel é o pai de vcs que rala o ano todo pra dar um presente legal a vcs. Olha o povo torce o nariz quando digo isso, mais meus filhos são super pés no chão, eles acreditam em coisas ruins e boas e isso se chama humanizar, não quero que eles cresçam achando que o mundo só tem coisa boa, quando passa no jornal na TV que uma pessoa boa doou roupa e brinquedos, eu chamo e mostro, olha lá meus filhos que coisa linda, é isso que devemos fazer.
    Acho que cada um é cada um e meus filhos não são piores por nunca terem acreditado em Papai Noel.
    Beijuuuus Joicy, tem outra hitoria sobre o Natal que aconteceu comigo, mais essa eu conto no meu Blog... Bjs
    http://www.artesdosanjos.com.br/

    ResponderExcluir
  22. PAULO CESAR, Olá, querido... bom saber que vc gostou do texto! Pois é, eu estimulei até onde foi possível... quando não deu mais, vi que era hora de parar! Rsrsr bjks

    CISSA ROMEU, garota insônia 2... vc é o mááááximo! Pois é, eu tinha esse blog, desde 2009... mas, nessa época usei pouco. Quando voltei, dei um limpa nas postagens anteriores e há quase três meses resolvi voltar com tudo, e pra ficar! Rsrsrsrsrsrs

    Concordo com a fala dessa psicóloga... foi seguindo essa lógica, que continuamos com os estímulos. Quando vimos que ele já estava começando com as dúvidas e fazendo perguntas, foi a hora de parar. Sua filha é porreta, heim!? Eu ri de seu relato... kkkkkkkk... Danadinha, ela!
    Ah, sim... moro no 13 andar! Quando Gustavo nasceu, tivemos que colocar grades e telas em todo o apartamento! Rssrsrrs... sorte que não tenho esse medo de altura...

    Ahhhhhh, meu filho nasceu no dia de natal... se der, falarei sobre isso no próximo post! CENA DE FILME! Kkkkkkkkkkkk

    Super beijo,

    Garota insônia 1, desligando!!!!

    HONORATO, que legal sua visita... seja bem vindo para retornar sempre que quiser... bj

    RETRATO, que coisa mais linda ler seu relato... Aqui tbem sempre incentivamos esse encanto... Gustavo sempre ficou eufórico com essa época! O mesmo era com o coelhinho da páscoa.

    Então seu filho nunca acreditou? Heheheh... querendo ou não, as crianças de hj tem muito mais acesso a informação e são mais antenadas... não tem tanta ingenuidade qto as de antes. RS

    Cada comentário seu, enche meu coração de alegria... adooooro! Rsrsrs Bjinho

    VICTOR VON SERRAN, seu sapequinha... quer dizer que vc matou o papai Noel da sua tia e o seu!? Kkkkkkkkkkk... eu ri do seu relato! Danado!!!! Bjão

    BRUNO(B-CINE), adoro essa troca de ideias... vamos sempre nos comunicando! O que precisar, é só mandar um sinal de fumaça, pombo correio, email... rsrsrsrs...
    Então quer dizer que vc será papai!? Que legal... eu digo que educar nunca foi uma tarefa fácil... nos tempos de hj, mais difícil ainda. Mas, acho que me saí bem nesses últimos [quase]10 anos...
    Qualquer coisa, estamos por aqui! Algumas pessoas falam que eu tenho esse jeito de lidar com meu filho, que aparenta ser tão simples e fácil, por conta de minha profissão(professora de crianças). Talvez isso ajude, mas, não acho que seja por isso...rsrsrsrs Ser pai e mãe não vem com manual de instruções, então temos que nos esforçar e ir aprendendo a lidar com as situações.
    Muito bacana sua iniciativa de se vestir de papai Noel... há muitas crianças carecendo dessa atenção especial... forte abraço! ☺

    JANE DOS ANJOS,
    Ahhhh, muito triste sua história em relação ao Papai Noel. Mas, vou fazer um adendo sobre como fazia com meu filho. Eu, de certa forma, nunca trabalhei o sentido desse papai noel capitalista e que dá presente para crianças boazinhas. Eu estimulei a figura, como um simbolo do natal (não vou entrar aqui no mérito de religião, pois eu não sigo nenhuma, mas sempre expliquei pra ele a questão histórica, por trás do natal e pq se comemora essa festa)... então, eu continuei estimulando a crença dele no Papai Noel, como uma questão da imaginação infantil. Dá uma lida nas minhas respostas aos comentários acima, do Manfio e TSU... lá eu falo melhor sobre isso! Bjão

    ResponderExcluir
  23. Oh Joicy e como entendo isso que vc falou, aqui em casa eu incetivo muito a leitura, a fantasia quase verdadeira, essa mitologica eu não incentivo não, eles sabem o por que do natal e sabem o por que dessa comemoração, falo sobre religião no geral, pois como não tenho uma religião especifica e sim uma que me encaixo melhor, eles sabem bem o que é. O mais engraçado é que eles acreditam em fadas, duendes, fantasmas, mais isso por minha causa, já que acredito nisso fielmente!!! rsrsrsrs... Filhos não precisam só de alimento oral e sim espiritual tbm. ♥ Bjs

    ResponderExcluir
  24. Pois é. Meu pai também não queria que o papai noel ganhasse fama às custas dele, mas ele fez isso praticamente dizendo "nem se iluda, essa porcaria não existe". kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  25. Meu Deus, mijei de tanto rir com a do "Homem-Aranha Papai Noel" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
    Que menino mais esperto!! Hahahahahahhahaha
    Bom, voltando a ficar séria, eu realmente não sou a favor de incentivar uma criança a acreditar que no Natal tem um velho todo vestido de vermelho que fabrica e entrega presentes.
    Primeiro, pq eu acho que as crianças não devem aprender a ser comportadas em troca de algo. Segundo, pq isso estimula um desejo de consumo que pode ser tornar um problema mais tarde.
    Acho que eu compartilho dos pensamentos daquele menininho da sua primeira tirinha (garoto comunista), rs.
    Está aí a minha opinião!!
    Beijos e tenta aparecer mais lá no meu blog! :)
    Gisele Carmona
    http://giselecarmona.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  26. Bah, tu que ama cinema,já viu "uma noite de fúria"?????Não confunde com o do michael douglas que é um dia de fúria.

    Essa é sobre o papai noel ser filho do demonio e ter perdido uma aposta com o anjo e teve que fazer o bem durante mil anos, e agora o tempo da aposta acabou e ele pode fazer o mal novamente. É muitooooooooo massa! É um misto de comédia com terror. Tipo, sarcasmo puro, genial! Recomendadíssimo.

    Vou pôr um link aqui de um vídeo bem das antigas (põe antigo nisso), mas caso tu não tenha visto (escutado pq é só áudio) vale muito a pena. hahahahaha

    http://www.youtube.com/watch?v=zvb7KSqAbgA (escuta até o final)

    bah,pelo menos seu filho nunca vai esquecer o dia que o papai noel morreu pra ele e os créditos vieram tudo para os pais dos Natais anteriores! :D

    Eu nem sei quando foi comigo, acho que descobri sozinho. :P

    Bjss

    ----
    “The Tramp Mind”
    Site Oficial: JimCarbonera.com
    Rascunhos: PalavraVadia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  27. Realmente o preço do M.O.A está salgado. O ponto positivo é que o passaporte vale para todos os dias do festival, mas ainda assim está bem complicado para mim levando em conta todas as despesas de uma viagem assim.

    Particularmente, gosto bastante de História, se não cursasse Geografia, certamente estaria cursando História. E concordo com ti, a história de nossa vida, de nossas famílias deveria ser a primeira estudada. De fato meus avós maternos tem muita história para contar, se você sentar com eles e pedir para falarem esse período do mundo entre guerras, serão dias de histórias a serem ouvidas rsrs. Recentemente realizei para a faculdade um trabalho sobre refugiados, quando fiz um recorte histórico usei muito do que aprendi com meus avós. Isso é algo que acho interessante também, as pedagoga acabam ensinando um pouco de todas as matérias, deve ser bem complicado. Meu contato com professores das series iniciais foram poucos, mas não foram poucos me pedindo dicas de como ensinar determinadas coisas relacionadas a orientação espacial.

    Hahaha, um "draminha" de vez em quando não vai matar ninguém. Eu nunca tinha pensado na ideia de músicas do Blind Guardian na trilha sonora de Senhor dos Anéis, talvez pq a trilha tenha um lado mais erudito, e até mesmo pelo motivo de eu simplesmente amar a trilha sonora dos filmes, que foi bastante premiada nos festivais de cinema. Mas realmente poderia ficar bem supimpa. O Blind Guardian já teve duas músicas em trilhas de jogos de videogame, uma música na trilha sonora dos filmes cairia muito bem.

    Claro, compartilhe sim as obras de arte do seu filho rs. Eu tentei entrar nessa de desenhar também quando comecei a ler mangás, mas depois eu percebi que meu a minha arte era música e não desenho rsrs.

    Tentando ser mais claro e menos radical, eu simplesmente não incentivaria a crença no Papai Noel pelo fato do feriado hoje ser totalmente comercial. Incentivo ao consumismo é o que não precisa, e pelo fato de não ser cristão, também o sentido original da comemoração não seria válido para mim incentivar meu filho.
    Eu entendi o que tu tentaste dizer, a verdade é que por mais que tu tentes não ser contraditória, isso é impossível, já que o sistema capitalista em si é feito de grandes contradições. Compreendo que o faz de conta é essencial para uma criança, mas tenho essa visão critica que contos de fadas por mais fofinhos que possam ser, são todos cheios de ideologias capitalistas de consumo e bom comportamento, que o diga o mestre Walt Disney, assim o mesmo com o natal e a politica da boa criança que ganha presentes do barbudo. Não tem como você não ser contraditório rsrs. No mais, é a principal data da comemoração da hipocrisia humana... OK vou parar por aqui com meu pessimismo e radicalismo rsrs. Estou convivendo muito com o pessoal da esquerda, o negócio é contagioso rsrs.

    ResponderExcluir
  28. JANE DOS ANJOS, Vc acredita em fadas e duendes?! Eu ri… adoro ler sobre essas coisas, mas não acredito! rs bj

    Lay, entendi bem o seu pai. Ele quis abrir seus olhos, antes que se decepcionasse! heheheh bjk

    Gisele, prometo que serei mais assídua nos blogs. Entrarei de férias, semana que vem… aí as coisas ficarão melhores… hahahah, sua 'comunisssssta'! kkkk
    Sabe, eu tentei trabalhar com o Gustavo essa questão do consumismo… por isso mesmo NUNCA dizíamos que o Papai Noel daria qualquer coisa que ele quisesse ou que precisaria se comportar para isso! Foi mais como um símbolo mesmo… algo ligado a imaginação. bjinho

    JIM, anotadíííssima sua dica do filme…

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk … marido e eu quase demos um treco, de tanto rir, com esse vídeo que vc mandou(da carta)!!!! O que foi aquilo!!??? Quanta revolta! Isso que dá, ficar estimulando um Papai Noel voltado para a "meritocracia"!! hahahaah… pelo menos, sei que meu filho não se tornará um "Bin Laden", pois tentamos não focar nesse tipo de "bom velhinho"… hahahhahahahahah… muito boa a carta! bjs

    MANFIO, pois é… realmente está valendo a pena ir ao M.O.A, mas, está complicado, pois aqui somos dois (marido e eu)… como faz!? Senta e chora? rsrsrs… vamos ver no que dá!

    Sobre o lance da história, é bem como vc disse mesmo! Hj já se tem essa visão de trabalhar a história, nos anos iniciais, usando a realidade das crianças. Ah, sim, os pedagogos trabalham com todas as áreas. Vou te falar uma coisa, eu tiro de letra isso, mas sou um tipo de professora que busca sempre estudar o tempo todo. Me formei em 2004 e nunca parei… Sem falsa modéstia, consigo me sair bem em todas as matérias, para essas séries. Mas, infelizmente, há muitos professores que não buscam esse conhecimento.

    Bom, já percebeu que sou dramática, né!? rsrsrsrs… pois é, eu tbem gosto da trilha de Senhor dos Aneis… mas, acho que seria perfeito ouvir Blind Guardian nessa obra maravilhosa. Eles, com certeza, tirariam de letra.

    Acho que não me fiz entender direito. Apesar de ter falado dos contos de fadas, em minha resposta anterior, na parte em que eu disse "O FAZ DE CONTA, é parte fundamental no desenvolvimento da criança." não me referi aos contos de fadas… me referi ao estimular o imaginário infantil, mas, vou parar por aqui, para não complicar mais! kkkkkkkkkkkkk

    Porém, como vc já falou do contos de fadas, acho que sua birra com esse tipo de história é a mesma que eu tenho quanto as fábulas! Particularmente, não gosto das fabulistas, com sua "moral da história" no final de cada texto… acho extremamente moralista, com as "verdades absolutas" claramente abordada nelas. Confesso que gosto muito dos contos de fadas… principalmente os textos originais! bjks

    ResponderExcluir
  29. HAHAHAHAHA mas que texto divertido e diferente! Confesso que na minha infância acreditava no Papai Noel, até descobrir que o Papai Noel que me visitava era meu próprio pai. Eu sempre achava estrano o fato dos dois nunca aparecerem juntos HAHAHAHA mas enfim. O Natal não deixa de ser uma época mágica.

    Beijos, até mais!

    ResponderExcluir
  30. Oi Joyce....amei o texto ..as "tirinhas" hilárias.

    Gosto da maneira como você escreve..descontraida...

    Para ser sibcera eu não me lembro muito desta coisa de papai Noel na minha infancia..
    Por algum motivo deletou-se...

    MAs a Bruna sempre acreditou. E mesmo quando deixou de acreditar..me disse..mãe..sei que Papai nNoel não existe..mas tudo bem..adorei o presente que ele me deu..rs
    Este "rs" nem deveria estar ai... porque não é engraçado.
    O barbudo é capitalista mesmo... e a criançada de hoje em dia é muito esperta.
    Não se pedem mais brimquedos..são celulares e afins...

    Acho que a criança deve por si só descobrir que papai noel é de brincadeirinha...

    Um beijinho...saudades..

    Parabéns pelo "filhão""

    ResponderExcluir
  31. Ei, Joicy, como vai?

    Pois é, por aqui é "reta final" com os trabalhos e só faltam mesmo 2 dias (segunda e terça). Então na quarta-feira vou tocar BEEEEEM alto o clássico do Alice Cooper: "School´s out for summer". É um ritual que eu tenho, sabe? rsrs

    Ah, o Papai Noel...sei lá, quando criança eu acreditava um pouquinho. Como eu lia bastante HQ e o "bom velhinho" sempre aparecia nas histórias, eu dava um crédito à "magia". Mas isso não durou muito tempo, não. Descobri por mim mesmo que o Santa Claus não existia coisa nenhuma - claro que não foi com a mesma sagacidade que o seu filho Gustavo - mas é que ainda criança, criancinha percebi que tinha algo MUITO ERRADO com o fato de eu ganhar um presente legal e a molecada da vizinhança às vezes não ganhar nada. Lembro de um vizinho que era melhor na escola do que eu, menos levado do que eu, enfim, uma espécie de "anjo" da rua e não ganhou nada no Natal. Aí eu comecei a "desconfiar" que o Papai Noel não era assim tão justo ou não existia coisa nenhuma. Olha como é criança rsrs

    Não sei como será quando eu tiver filho. Talvez eu deixe que ele acredite durante um tempo e, quem sabe, ele descubra "a verdade" sozinho - em tempos de internet, então, uma ajudazinha do Google vai bem. Google, matando o sonho das crianças kkkkkk

    Beijo! Adorei a esperteza do seu filho! Show!

    ResponderExcluir
  32. Bem lembrado, "o capitalista de barba branca";)

    ResponderExcluir
  33. RUBI, obrigada pela participação... acho que a maioria acaba descobrindo que o pai é o velho Noel... rsrs... valeu pela visita! Bjks

    MA FERREIRA, oi querida artista! Sempre maravilhoso ler seus comentários... então a Bru sempre acreditou!? Acho que essa mágica deve ser estimulada... sempre chega o momento do “desacreditar” né!? Apesar do velho vir carregado com o sentimento comerciável... o que precisamos fazer é ter sempre o cuidado para que nossas crianças não tenham essa visão... acho que tudo depende do “como” se é trabalhado isso!

    Bjinhos

    JAIME, óóóóótima escolha de musica, para esse momento final! Hahahaha... Alice Cooper!!!! Yeahhhhh... Escutei aqui e já me senti de férias! Hahahahahha

    Ah, vc foi muito esperto em notar esse “problema” com o papai Noel, devido aos seus vizinhos que não ganhavam nada(que triste, né!?? Realidade!!!!)! É um grande problema com esse “bom” velhinho que só traz presentes... acho que por isso tentamos não inculcar no Gustavo esse senhor que só vem para presentear com “coisas materiais”... houve um natal em que ele trouxe uma cartinha com letras verdes e vermelhas (a tal carta, da qual meu filho questionou, quando descobriu que o véio não existia!)... o brilho no olhar do Tavinho, ao ler a cartinha(isso foi ha dois anos) trouxe algo tão mágico para aquele dia... acho que o sinhô barbudo(que na verdade era a mãe “impostora”... kkkkk) conseguiu trazer algo de bom, naquele final de ano... e melhor, nem trouxe presente para ele! Sei que é difícil apresentar um papai Noel que não seja capitalista, para nossas crianças... mas, acho que tudo depende de como fazemos isso. Ele ganhava presentes sim, em todos os natais(de nós), mas, não era do gordinho que escalava o prédio e foi confundido, pelo meu filho, com o Homem Aranha. Esse senhor, era apenas um símbolo especial, que aguçava a curiosidade dele. :) ...

    Ah, com certeza hoje em dia as crianças, com “gúgol” e mil e uma formas de informações, acabam descobrindo de forma diferentes a não existência do senhor que mora no Pólo Norte.

    Bjks

    THAINARA, né!? bjks

    ResponderExcluir
  34. Joicy, só p/ dizer que passei por aqui, tô descobrindo que gosto muito dos seus textos. Ah, ainda em tempo, feliz natal e aniversário pra vcs.
    Victoria

    ResponderExcluir
  35. Obrigada, VICTORIA!!! Volte semmmmmpre! Bjs

    ResponderExcluir

Olá! Faça seu comentário!

Mas, NÃO DEIXE DE LER A POSTAGEM! ;)

Sinta-se a vontade!!! Sacomé, né!? Se você leu e chegou até aqui, não custa nada comentar... :)