29 de mar de 2013

Dois anos... dois dias...


Dois anos era a idade que eu tinha quando perdi minha avó paterna e, hoje, 28 de março de 2013, fazem apenas dois dias que perdi minha avozinha materna. 

Um número apenas e tanto significado contido nele. 

Quando eu tinha dois anos, não possuía maturidade para entender o quanto a perda de minha avó era dolorosa, mas fui crescendo e ouvindo coisas boas à respeito dela. Uma pessoa de coração bom e que deixou saudade imensa. 

Agora, dois dias depois de perder minha outra avó, pude sentir de forma mais forte o gosto da dor e da perda. Principalmente, pude sentir o gosto do sofrimento de minha mãe...

Mãe, uma palavra com pouco mais de duas letras... apenas três. Tanto significado!

Tudo isso me fez pensar no quanto é interessante a forma como a morte chega e nos deixa com aquele sentimento angustiante rondando... assombrando! A morte é uma danada que por mais que tenha certeza de sua chegada, jamais estarei preparada para encará-la. Vendo o sofrimento de minha mãe, foi inevitável bater aquele receio de perder essa parte tão importante que há de mim, minha mãe. A verdade é que mãe deveria viver pra sempre... Mas, o jeito é espantar esse assombro pra lá e tentar não ficar pensando nisso.

------------------------------- // ------------------------------

Esse texto faz parte de uma Blogagem Coletiva comemorativa do blog Escritos Lisérgicos, do querido blogosférico Christian V. Louis. O tema sugerido foi "Dois anos" onde poderíamos escrever qualquer coisa a respeito de dois anos.

Cris, me desculpe por um texto tão melancólico. Eu queria ter escrito algo mais alegre, afinal, seu blog está fazendo aniversário, contudo foi o que meu coração liberou por meio dos dedos psicopatas. Sacomé, né? Tem dia que... enfim...


Ps. Esse texto foi escrito ontem(28/03), mas infelizmente meu blog deu "bug" e não consegui publicá-lo. Não mudei a data que está no início dele pois perderia o sentido... então é isso!

Beijinhos...
Câmbio, desligo!

ATENÇÃO: Eu adoooro demais estar no universo blogosférico. Muito mesmo! Contudo, precisei me ausentar. Esta ausência começou de forma bastante tranquila e por "tranquilo", me refiro ao fato de ter parado de acessar sem forçar a barra, sem sofrimento e, principalmente, antes que o botão "PERIGO" precisasse ser acionado. Apenas deixei de lado, por conta de outras questões que no momento se mostraram mais importantes.
Tenho muitos amigos blogosféricos no facebook e twitter(apesar de estar pouquíssimo neste último)... então nos vemos por lá!