25 de ago de 2012

Edith Piaf... Diva!

Olá, blogosféricos leitores do Umas e outras!!

Essa é uma [re]postagem... Foi uma post que eu fiz para ser publicado no blog Antes que ordinárias, onde sou colaboradora escrevendo sobre música e seriados, duas grandes paixões minhas. No caso deste, o tema é música.

Na época em que escrevi esse texto, pensando em algo para ser publicado(sendo ele o meu primeiro dentro da sessão sobre música), foi inevitável vasculhar dentro das minhas preferências. Foi então que imediatamente veio à minha mente um grande ícone da música francesa. Ao ler essas últimas palavras, muitos leitores(principalmente os que me conhecem) certamente já devem imaginar sobre quem irei falar na postagem de hoje, aqui no Antes que ordinárias.

Pois bem, quem pensou em Edith Piaf, acertou! Antes de postar algumas músicas dela, farei um breve relato sobre minha DivaMaster.

Para muitos sua história de vida se aproxima daqueles enredos de filmes “clichês”: A menina pobre que come o pão que o diabo amassou na infância e adolescência, depois de algum tempo é descoberta como cantora e faz sucesso(obviamente que nada é tão simples e rápido assim). Contudo, mesmo que pareça apenas algo clichê, é fato que Piaf teve mesmo muito a nos contar, com suas vivências. 

Imagem daqui
Classificada como um dos grandes nomes da música francesa(e mundial), La Môme Piaf(o pequeno pardal, nome que recebeu no início de sua carreira) nasceu em Paris, no ano de 1915. Édith Giovanna Gassion(seu verdadeiro nome) foi abandonada pela mãe, ainda muito pequena. Pouco tempo depois seu pai a levou para morar com sua avó paterna, que era dona de um bordel, local onde passou parte de sua infância. Mais tarde, na adolescência, voltou a viver como pai, porém o deixou para viver sozinha aos 15 anos de idade. Em 1959 descobriu que tinha câncer e morreu em 1963.


Imagem daqui
“Apesar das histórias fabulosas em torno de Piaf, sua infância não foi nenhum conto de fadas. Os poucos fatos conhecidos a respeito do seu começo desafortunado misturam-se a lendas que ela mesma e outras pessoas passaram a cultivar quando se tornou famosa; neste caso, muitas vezes é impossível separar fato de ficção – pretensão pouco pertinente, tendo em vista que sua arte e lenda alimentaram uma à outra, devolvendo-a às ruas onde começou.” [trecho retirado do livro Piaf: Uma vida, de Carolyn Burke]


Imagem daqui


Em 2007 foi lançado o filme Piaf: Um hino ao amor, uma cinebiografia maravilhosa de Edith Piaf, com excelente atuação de Marion Cotillard. A atriz entrou tanto na pele da cantora que em muitas fotos fica difícil distinguir quem é quem. Esse filme nos faz viajar maravilhosamente pela vida de La Môme. Obviamente que, devido às histórias(ou estórias) que circularam em torno de sua vida, ficção acaba se misturando à realidade, nesse filme e isso é mais que natural. Independente disso, diante de tudo o que já li sobre Piaf, se antes de assistir eu já gostava demais de suas obras, depois dessa película passei a amar mais ainda. 

Imagem daqui
Enfim, Piaf foi um ser humano cheio de defeitos que sempre ficaram explícitos, contudo, acredito que justamente isso faz com que eu olhe para ela como um ser humano que amou, sonhou, sofreu, lutou e venceu e com tudo isso, viveu intensamente(não necessariamente nessa ordem). Minha relação com Piaf é algo que não consigo explicar. Acho linda a forma como ela expressou momentos de sua vida, por meio da música. Ler sobre ela me faz querer ouvir incansáveis vezes “Non, je ne regret rien” e pensar que ela chegou de fato ao final de sua vida não se arrependendo de nada.



E será “Non, je ne regret rien” que estará no topo das músicas de meu gosto, na voz da Diva (aliás, eu só consigo ouvir essa música na voz dela... sorry!).


Outra que me faz querer ouvir inúmeras vezes seguidas é La vie en rose.

Também deixo para vocês a canção Padam... Padam... Como a própria letra diz, essa melodia me deixa obcecada. Faz-me lembrar de muitas coisas. Aliás, ela me vira do avesso!

Me despeço desejando que vocês se deliciem com La Môme Piaf.

Beijinhos...

Câmbio, desligo!

50 comentários:

  1. adorei saber um pouco mais sobre essa diva, que na verdade não conhecia muito... E os vídeos fabulosos! Não é à toa que ela é sua divamaster!
    beijokas doces!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, queridona!!! DivaMaster rules! rsrsrss... uma preciosidade francesa!

      bjks

      Excluir
  2. Ninguém a esquece. É daquelas musas que chegam para se eternizar. Digna de constantes aplausos. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nào mesmo, Marilene! Essa fez história... obrigada! :)

      bjks

      Excluir
  3. Querida Joicy, boa noite!

    Li atentamente a o seu relato sobre Edit Piaf, e te confesso, sem vergonha da minha ignorância, que nunca fui ligada à música francesa, e obviamente também não a essa bela artista.
    E é até uma contradição da minha parte, pois eu digo sempre, que se eu tivesse grana, um lugar do mundo que eu adoraria conhecer seria Paris, a França e imediações ...rsss.
    Contudo, me emocionou a história dela, o seu carinho em homenageá-la, e finalmente as músicas dela que vc postou. Parabéns amiga, por esse gesto tão bonito!

    Obrigado, hein, pela visitinha ao Sementes e pelo comentário delicioso que vc deixou por lá!

    Feliz noite de sábado e feliz domingo também!

    Bjosss da Lu...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, fico feliz que vc tenha lido tudo e gostado do texto! Edith teve uma vida bastante conturbada, polêmica e tbem maravilhosa. Acho que justamente o jeito diferente dela que a tornou tão especial!!

      Obrigada... bjks

      Excluir
  4. Olá Joicynha,

    Puxa, faz muito tempo mesmo que não nos falamos. Perdoe-me querida, mas a faculdade e os meus projetos, enfim, um montão de coisas não me permitem tempo hábil para comentar com a frequência que eu gostaria.

    Quanto ao cerne da postagem, confesso que não sou muito conhecedor da cantora, entretanto pelo que vi nos vídeos que acoplara, ela fora muito boa. E agora, eu entendo a influência francesa em seu nome. ehehe

    Um enorme beijo e parabéns pelo bom gosto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anselmo, nem grila... esse lance de ausência acontece memso. eu por exemplo fiquei um tempão sumida! rs.. mas, o importante é que sempre retornamos.
      Sobre a cantora, fica a dica apra que ouça mais e mais dela. É excelente!!

      bjks

      Excluir
  5. Olá!Boa noite!
    Joicy!
    Bela postagem sobre a/o "pequeno pardal"!Eu gostei!
    Assisti ao filme Piaf - Um hino ao Amor de Oliver Dahan. Impossível não se emocionar com a história de Edith Piaf, que encantou o mundo.Eu particularmente gosto de La Vie en Rose e Je Ne Regrette Rien. A vida foi realmente conturbada para Piaf, e nem a fama, dinheiro, não conseguiu acalmar a alma inquieta, irreverente e transgressora dela...uma pena!
    Foi bom "ouvir" AQUI!
    Obrigado!
    Bom domingo!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc é um poeta em tempo integral, heim?! Um simples comentário e tanta poesia em cada palavra... Eu tbem assisti o filme e me emocionei. Tenho ele e já assisti umas 4 vezes. A vida de Piaf foi nada fácil. Penso que inclusive foi bastante trágica! Acho que essas tragédias a inspiraram em suas interpretações , no palco.

      Obrigada!! ;)

      bjks

      Excluir
  6. Lindo Jó!
    Edith Piaf é realmente uma diva de seu tempo!

    Legal a idéia das repostagens, que eu faço sempre, hahahahahahaha. Quando a gente está na fase das postagens de bronze é sempre legal re-postar e se preparar para voltar ao ouro!


    Parabens minha amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda sou audaciosa em dizer que ela é Diva não somente do tempo dela. Ah, eu gostei desse lance de [re]postar. Ainda mais pq sào textos que eu publiquei no Antes que ordinárias. Como muitos daqui do Umas e outras não acompanham as postagens de lá, é uma forma de socializar os textos publicados por lá, aqui! :)

      Té mais!! Valeu!!! :)

      Excluir
  7. ótima leitura!
    Você me fez conhecer mais da diva Piaf, não me constranjo dizer que não sabia de sua dramática história (estória).
    J'aime la langue française.
    Bisous,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jaqueline, confesso que estou achado bastante interessante(estranhamente interessante) ver a quantidade de parceiros do Umas e outras que não conhecem a Diva! Boquiaberta, até! rs... mas, ao mesmo tempo, estou feliz por poder ser a que trouxe pela primeira vez, essa DivaMaster à vida de muitos. Pois é, Piaf teve uma vida bastante complicada. Apesar de todos os rumores por detrás da história dela, grande parte é real mesmo!!!

      Eu tbem amooooo a língua francesa!!! Sempre digo que se houve outras vidas, em uma delas eu fui francesa! Minha alma é francesa! ahahahahahah

      bjks :)

      Excluir
  8. Confesso que não a conhecia.Já ouvi varias vezes a música La Vie en Rose e Pandam.
    Vejo que canta com o coração da alma.
    Foi um prazer conhecer.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E canta mesmo, Janice!!! Totalmente com a alma e coração... bjks

      Excluir
  9. Joicynha, queridona!
    Tudo bem?
    hahaha... fiquei pensando na heresia que cometi quando postei o Filipe gato, ops! Catto, cantando 'non je ne regret rien', lá no Humoremconto, o que na verdade, expressa minha opinião, que é um pouco contrária a tua :) Não que a Piaf não tenha sido o que é, ou ainda seja; mas gosto de ouvir interpretações de outros bons cantores, que é o caso; apenas como opção mesmo. E dentro dessa linha, ainda vou postar no Humoremconto na novela do condomínio, a interpretação, (que eu achei show! e inusitada!), do Igg Pop cantando La vie en rose! Muito tri! Mas como te disse, apenas uma opção.

    A Piaf era tudo isso que você falou.
    Lembrei-me de algumas coisinhas, por exemplo, que o maravilhoso Charles Aznavour era namorado dela, e assim se projetou ao mundo, neste caso, também um grande intérprete, gosto muito dele e de suas entrevistas também.
    Outra coisa, apesar dela ser parisiense, cantava com o sotaque bretão, da Bretagna, com aqueles 'rrrrrrr', sabe? Nunca entendi por que, mas minha professora de francês alertou para isso.

    O filme foi muitíssimo interessante, sem dúvidas.
    Também pensei em outra grande diva, talvez não como a Piaf, mas alguém que sempre gostei e tem uma história de vida, igualmente, de superação, a Dalidá, conhece? Apesar de ser egípcia tem muito respeito, ainda hoje, na França. Aqui só por curiosidade:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Dalida

    Mas a Piaf sem dúvida é a grande diva francesa, e excelente post o teu!
    Beijos e ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cissa, que nada… não foi heresia sua. Eu é que não consigo ouvir algumas músicas que não consigo escutar as músicas que ouço na voz da Diva, cantada por outros. Mas, lhe digo, tbem tenho o hábito de ouvir versões de muitos outros cantores, na voz de terceiros. Inclusive estou com uma postagem programada, sobre uma música em três versões diferentes. Só com Piaf que tenho essa coisa, sabe!? Não sei explicar… ahahhaah… acho que é algo transcendental! Ou, simplesmente pq gosto demasiadamente!

      Muito bacana as curiosidades que vc me trouxe.

      Sobre essa outra artista, não conhecia até vc me apresentar. Muito bom isso… blog é cultura tooooootal! Adoreei… bjks :)

      Excluir
    2. Iggy Pop cantando La vie en rose??? Essa me deixou curiosa!!!! rsrsrs

      Excluir
  10. Como assim? Você chega toda linda, gostosa e inteligente...Posta sobre minha DIVA e nem avisa?
    Nã, nã , nã ni nã não, pode não,rs.!!!
    Adorei a breve biografia.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pati, adooorei seu coment... não sabia que vc era fã da DivaMAster... bom saber!!!! :) bjks

      Excluir
  11. Adorando por aqui. Como acabo
    de chegar vou segurar a fala,
    mas só até conhecer melhor , esta bem?
    Bjins entre sonhos e delírios

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, espero que goste de minhas postagens! :)

      Excluir
  12. O que mais admiro na obra da Edith Piaf é a forma com que ela ela se entregava e se desnudava em suas canções, você percebe pela voz dela, que ali há dor, angústia e muito sofrimento e isso fica perceptível mesmo nas canções mais alegres dela e é como se ela não conseguisse escapar de quem ela realmente é e com isso suas interpretações musicais acabam se confundindo com sua própria vida. Algo trágico e belo, quase gótico em sua essência...

    http://sublimeirrealidade.blogspot.com.br/2012/08/sangue-negro.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José Bruno, é isso mesmo... ela se entregava com o coração e a alma. É como falei acima, para algum dos comentaristas, ela interpretava o que sentia na vida. Era um reflexo de sua vida intensamente vivida. Obrigada, querido!!

      bjks

      Excluir
  13. Oi Joycinha,

    Tudo bem?

    Quando essa diva canta Cause I love you, o mundo para e a as estrelas se derretem de amor. Gosto também de "Adieu Mon Coeur", mas não sabia escrever e fui no google. Lembro dela com Bibi Ferreira, apresentado por meu pai que era um colecionador de vinil, com um acervo de encher os olhos. Quando ele estava bem mal, minha mãe fez doação do acervo dele para um rádio porque teve que se mudar para um apartamento. Ele está vivo, mas sente cada vinil que perdeu.

    Sei que a história dela é trágica, não sei detalhes, mas lembro que a morte do lutador deixou ela abalada e quase que ela não queria mais cantar.

    Valeu o texto, como sempre falo por aqui, o blog é caminho da gestão do conhecimento, diria, literatura do século XXI. Fui longe, mas é o que desejo e as vezes, sei que sou antipática em posicionamento nos textos, mas é a inquietação literária que a blogosfera provoca.

    Quando leio um texto como esse, com contextualização e base conceitual e musical, deliro. É como um crack. Aguardo a ressaca. Valeu mesmo.

    Beijos e boa semana lindona.

    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luuuuuu, eu estou simplesmente sem palavras diante de seu lindo comentário!! Adorei saber do amor que seu pai tem pelos discos de vinil(imagino como ele deve ter se sentido diante do fato de ter que abrir mão deles), tbem adorei saber que foi ele quem lhe apresentou Edith, mesmo que na voz de outra pessoa.

      É verdade mesmo esse fato sobre o lutador... ela o amava tanto que quando li à respeito(e depois vi no filme) senti uma imensa tristeza pela dor dela.

      Sua analogia foi maaaaaaaravilhosa e nada antipática, viu!? Me senti losonjeada com seu elogio... Muito obrigada!!

      bjks :)

      Excluir
  14. Olá Joicy!

    Tudo bem?

    Espero que o teu bloqueio já tenha desbloqueado. Mas já vi que sim, fico feliz.

    Apesar de não ser voltada para a música francesa, reconheço que Edith é e será uma grande Diva para sempre.

    Excelente homenagem.

    Parabéns!

    Obrigada pela visita e pelo comentário.

    Um beijo,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, estou desbloqueando aos poucos! rs... obrigadaaa!˜!!!! :)

      bjks

      Excluir
  15. Oi Joicy!
    Confesso que sou leigo quando se trata de Piaf, já ouvi o nome, mas nunca ouvi as músicas e nem sabia da história. Não faz muito meu gosto, mas ela canta bem.

    Bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Piaf é parte da música mundial, Ricky. Mas, compreendo que há muitos que não curtem o estilo. Faz parte, né!? Eu sou apaixonada... percebeu, né!? rsr... bjks

      Excluir
  16. Olá, grande amiga Joicy,
    Edith Piaf é realmente uma deusa da arte musical.
    Suas músicas são verdeiros hinos à alma."Ne me quitte pas" é uma de suas obras-primas que encanta o mundo todo.
    O resumo de sua biografia aqui está didática, objetiva, enfim, perfeita.
    O bom é que você fala sobre música e músicos com espontaneidade.

    Abraços do amigo!

    ResponderExcluir
  17. Olá, grande amiga Joicy,
    Edith Piaf é realmente uma deusa da arte musical.
    Suas músicas são verdeiros hinos à alma."Ne me quitte pas" é uma de suas obras-primas que encanta o mundo todo.
    O resumo de sua biografia aqui está didática, objetiva, enfim, perfeita.
    O bom é que você fala sobre música e músicos com espontaneidade.

    Abraços do amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, Bentoo... As músicas de Piaf passam por todos os anos e não ficam esquecidas. Elas tocam a alma e o coração. Acho que justamente por todas serem cantadas com o coração. Obrigada... :) Eu gosto muito dessa temática, música!

      bjks

      Excluir
  18. Devo dizer que não sou fã desse tipo de música. Mas, algo, não sei o que, me encantou ouvindo a música dela.
    Vida dura hein, passar a infância com uma avó dona de bordel? Grande personalidade dela para chegar onde chegou XD
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  19. Devo dizer que não sou fã desse tipo de música. Mas, algo, não sei o que, me encantou ouvindo a música dela.
    Vida dura hein, passar a infância com uma avó dona de bordel? Grande personalidade dela para chegar onde chegou XD
    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mateus, Edith tem dessas coisas... ela mexe com o nosso interior. Não acho que seja possível ouvir uma música da Diva e continuar o mesmo. Impossível! Fato, ela teve uma vida bastante sofrida... mas, teve muitas conquistas, tbem. Contudo, como alguém falou acima, ela sempre teve uma alma inquieta! Obrigada... bjks :)

      Excluir
  20. Muito legal!
    Eu sou músico e gosto muito de quase todos os estilos musicais, mas Edith Piaf pra mim sempre foi só um nome lendário, desses que a gente respeita antes mesmo de conhecer. E agora que você me apresentou e eu conheço, respeito ainda mais!

    Abraço!

    P.S.: No meu blog tá acontecendo um sorteio de um livro, passe lá pra concorrer!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que ela tem dessas coisas... é como se ela estivesse sobre um pedestal. Mas, quando ouvimos suas músicas, nos sentimos íntimos. Obrigada, Lucas...

      bjks

      Excluir
  21. Boa noite, Joicy.
    Não tem como eu ouvir falar de Edith Piaf sem que eu deixe de lembrar do ótimo filme A Origem, de Cristopher Nolan, onde ela é usada como aviso para os personagens acordarem do sonho e, coincidentemente, Marion Cotilard interpreta a esposa do Leonardo DiCaprio no filme.
    Eu pouco sabia sobre ela, e o que aprendi aqui só aumentou meu respeito por essa grande artista.
    Abraço, Joicy.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jac, outro colega(do face) me falou a mesma coisa. De fato, isso é marcante!! E, realmente interessante coincidencia, Marian Cotilard fez maravilhosamente o papel da diva. Ela arrasa! Assisti outras atuações dela(inclusive em A origem) e a danada não nega o talento!

      Obrigada!!! :)

      bjks

      Excluir
  22. Olá Joicy,
    Bem, apesar de conhecer a fama dessa grande divã da música internacional, devo dizer que não a conheço tão bem como deveria. Como diria um antigo personagem do Jô Soares "Xiiiiii, falha nossa!", rsrsrsrsrs.... Mas lendo o seu post, que foi muito interessante, consegui aprender um pouquinho mais sobre ela, a ponto de ter mais atenção com o trabalho que ela desenvolveu.

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
  23. Olá Joicy,
    Bem, apesar de conhecer a fama dessa grande divã da música internacional, devo dizer que não a conheço tão bem como deveria. Como diria um antigo personagem do Jô Soares "Xiiiiii, falha nossa!", rsrsrsrsrs.... Mas lendo o seu post, que foi muito interessante, consegui aprender um pouquinho mais sobre ela, a ponto de ter mais atenção com o trabalho que ela desenvolveu.

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flavito, muito obrigada, querido! Fico contente por ver que muitos estão gostando dela. Eu sou super suspeita em falar, pois sou fã!! :)

      bjks

      Excluir
  24. Joicy... que delicia de voz é essa... eu amei... amei... que lindas musicas... ^.^
    Menina eu amo musicas assim e já guardei o nome dela e vou baixar varias musicas, as que eu achar que desde que o megaupload foi deletado, a net ficou pobre... rsrsrsrsr...=D
    Joicy queria agradecer pela força e pelas palavras, obrigada de verdade por estar por perto no momento dificil o Rock já está 100% e eu chegando lá, obrigada de verdade... Beijooos e boa semana!! Fessora!! =D

    http://www.artesdosanjos.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jane, espero que vc se amarre nas canções da diva... há inúúúúúúúúúúúúúúmeras! eu tenho um play list abarrotado aqui!

      Sobre o Rock, eu fico feliz em saber que o danadinho já está bem!!!! Força aí, queridona!!!!

      bjks

      Excluir
  25. Oi, Joicy Sorcière. Quanto tempo faz que não passso por aqui. Não esqueci de você, não. Acabei de ler e parabéns. Sou fã da Piaf. Meu irmão possui este dvd. Agora não tem mais desculpa. Irei vê-lo. Urgentemente. Um abraço... Outra coisa: estou fazendo uma Sessão a respeito do Mito e Filosofia. Passa lá. Um abraço...

    ResponderExcluir
  26. Não cheguei a ver o filme. Também não conhecia a vida dela. Mas já a tinha ouvido.

    Lendo e ouvindo agora, arrepiei.

    No filme O Resgate do Soldado Ryan, os soldados ouvem "Tu Es Partout".

    um beijo.

    ResponderExcluir

Olá! Faça seu comentário!

Mas, NÃO DEIXE DE LER A POSTAGEM! ;)

Sinta-se a vontade!!! Sacomé, né!? Se você leu e chegou até aqui, não custa nada comentar... :)